Eu, você e Deus: o trio perfeito

Recentemente meu pai passou por problemas de saúde e nos deu um grande susto. Enquanto estava deitado na maca antes do procedimento cirúrgico minha mãe, debruçada sobre ele, disse “Você estava fraco, amor, eu deveria ter cuidado melhor de você” e lhe deu um beijo. Assim que saiu para atender ao telefone, ele me disse “Não sabemos como será o procedimento, se acontecer algo comigo, cuide da sua mãe.”. Ambos em uma situação difícil, mas pensando no outro. Com este lindo exemplo de um casamento de 36 anos começo este texto sobre relacionamento.

Há uma verdade que não podemos esquecer, não existem relacionamentos perfeitos, mas pessoas imperfeitas que buscam o auxílio do Deus perfeito para conviverem. Sozinhos, tentando levar o relacionamento por suas próprias forças, a carnalidade sobressai em formato de teimosia, arrogância, rancor, mágoa, egoísmo, desrespeito, mentira, infidelidade, falsidade etc. Naturalmente somos maus e mesmo sendo cristãos, se Deus não for o centro da união o casamento não prevalece. Se você, que lê este texto, é casada sabe disso. Portanto, precisamos reconhecer que somos maus.

E assim, entender que precisamos ter as virtudes divinas para que o casamento perdure. Quanto mais do caráter de Cristo em nós, mais durabilidade no matrimônio. Precisamos aprender sobre o amor, a mansidão, a justiça, a generosidade, a bondade, o altruísmo, a abnegação de Cristo e praticar no relacionamento. Isto é, decidir perdoar quanto ofendida, decidir fazer o bem ao esposo todos os dias da vida, manter a paciência quando for provocada, desconsiderar uma fala infeliz, procurar formas de fazer o que o cônjuge gosta, fazer gentilezas sempre que possível e assim por diante.

É claro que nem sempre será fácil, somos humanas e estamos em processo de santificação, para isso temos a Palavra do Senhor para nos encorajar diariamente. Nela encontramos todo o direcionamento para um relacionamento feliz e saudável. Tenha uma vida íntima com Deus, isso a ajudará, além de ler a Bíblia todos os dias, ore ao Senhor buscando sua ajuda, não apenas quando as adversidades chegarem, mas estabeleça um convívio diário com o Senhor. Sua intimidade com seu esposo será acrescentada à medida que o relacionamento com o Senhor for estabelecido.

Meus pais certamente não são perfeitos, há momentos difíceis na convivência, mas são exemplo para muitos casais jovens, pois procuram manter seu casamento com base nos princípios acima.

Por: Virgínia Ronchete congrega em Matão psicopedagoga, escritora e secretária do DIJAP Geral

Nenhum comentário

Comentários estão desativados