A planta que Deus plantou

A SEMENTE: Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. (Is 11.1)

CONHECENDO O TERRENO: Depois da Queda e expulsos do Éden, a história de Adão e Eva é entrelaçada de tristezas, mortes, rebeliões, assassinatos, depravações e tantos outros problemas. Em Gn 3.15, o Descendente da mulher foi anunciado, e este daria um novo sentido na tragédia humana. A promessa de um Salvador nasceu no jardim. Foi no dia da Queda que Deus anunciou ao casal primeiro um Plano para levantá-los.

No decorrer das Escrituras, este Descendente é comparado a uma planta. O Messias/Ungido, o enviado de Deus, é chamado assim por Isaias: Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. (11.1) “A imagem aqui é de uma árvore cortada. Todos os antigos sinais de vitalidade se foram, mas a vitalidade escondida da raiz continua a existir.”  Antes deste texto, em Is 10.34, o Senhor despedaça as florestas do Líbano. Agora, nascerá da insignificância de Judá, um ramo: “um broto verde, um rebento novo (cf. Is 60.21)” .

Outra imagem aplicada ao Messias foi falada por Ele mesmo. Jesus disse: Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. (Jo 15:1) A videira era símbolo da nação de Israel, mas agora, Jesus diz que Ele é a verdadeira videira, plantada por seu Pai. Quem está no Senhor tem vida verdadeira e produz muitos frutos para glória de Deus (Jo 15:2-5). Nessas imagens, vemos que Jesus foi “plantado” por Deus no jardim devastado da existência humana, e quem nele crê tem vida!

 

  1. Com base em Is11.1, reflita sobre a imagem do “rebento” aplicada ao Messias.
  2. Utilizando Jo 15:1-5, o que aprendemos com a imagem da “ videira” aplicada a Jesus?

 

CULTIVANDO A VIDA: As plantas que são associadas a Jesus não são das mais grandiosas no reino vegetal. Mas é delas que nos vem à lição que das coisas simples a nosso ver, Deus faz grandes coisas. O “broto” de Jessé surge de uma árvore cortada. A videira verdadeira plantada por Deus é vitalidade para aqueles que creem nele, e nele permanecem. Nossa vida só tem sentido se formos “enxertados” em Jesus.

Diante de nossas tristezas e tragédias, a desilusão pode nascer no coração. Pela fé no Cristo, Ramo e Videira, surge um novo raiar de esperança no terreno de nossa existência. Em nossa vida temos tempos em que o pecado nos deixa em meio a um “deserto de desilusão”, mas Jesus pode brotar na alma, fazendo florescer em nós toda sorte de boas obras.

 

  1. Com base nesse estudo, as tristezas são impedimentos ou um bom “terreno” para Cristo brotar nos corações?
  2. Compartilhe com alguém sobre a experiência de ter Jesus sido “plantado” pela fé em seu coração.

 

Ms. Andrei Sampaio Soares é colaborador do Departamento de Educação Cristã (DEC)

 

Bibliografia:

Motyer, J. Alec. O comentário de Isaías. Tradução: Regina Aranha e Helena Aranha. São Paulo: Shedd Publicações, 2016, p.161.

Ridderbos, J. Isaías: introdução e comentário. Tradução: Adiel Almeida de Oliveira. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1986, p.133.

Carson, D. A. O Comentário de João. Tradução: Daniel de Oliveira e Vivian Nunes do Amaral. São Paulo: Shedd Publicações, 2007, p.514.

Nenhum comentário

Comentários estão desativados