Vencendo as tribulações através da comunhão com Deus

 

No Salmo 23, Davi dá-nos uma mostra completa da caminhada de um cristão. O Salmo começa falando de nossas esperanças e confiança em Deus – “O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta.” –Verso 1. Esta é uma vida abençoada por Deus: pastos verdejantes, águas de descanso, refrigério para alma, e direção nos caminhos da justiça. 

Porém, o salmista Davi nos alertou para as tribulações do nosso caminhar. Fora os contratempos normais, a escolha por Jesus, circunstancialmente, pode trazer grandes tribulações em nossas vidas, pois as forças do mal tentam impedir a todos de serem salvos. E Jesus já nos alertou, que muitos seriam perseguidos por causa de Seu Nome. Agora, a grande diferença da caminhada do povo escolhido, do povo que tem o nome escrito no Livro da Vida, daqueles que tem como Senhor e Salvador a Cristo Jesus está no verso 4: “Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem”. Enquanto muitos se apegam a que ou a quem, qual a sua esperança? 

Por que o SENHOR permite que passemos tribulações? É para o nosso crescimento; para que não voltemos atrás; para que realmente estejamos certos de que queremos adorar com exclusividade o Nosso Deus. Para que o sentimento maior seja a pessoa dEle e não apenas as Suas bênçãos. Assim já dizia Paulo em Romanos 8.35: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”; em 2 Coríntios 4.17: “Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles”. 

E o SENHOR confirma as palavras de Davi em várias passagens, dizendo para não temermos às más circunstâncias, pois está conosco. É certo que no meio das tribulações temos o Deus Todo-Poderoso ao nosso lado. Devemos andar firmes, perseverantes, e principalmente, com paz no coração. 

A vitória final também é certa. Aos que perseveram, confiando na destra do SENHOR, terão a recompensa preparada pelo Rei da Glória. Mas a vitória começa a ser construída aqui, no presente. Davi afirmava que era vitorioso sobre os adversários; recebia unção sobre a cabeça; e o seu deleite era trasbordante. As bênçãos do SENHOR o acompanhavam todos os dias da sua vida e penetrava na eternidade. João também pode visualizar a grande recompensa em Apocalipse 7.14-17: “…Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro… Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede. Não cairá sobre eles sol, e nenhum calor abrasador, pois o Cordeiro que está no centro do trono será o seu Pastor; ele os guiará às fontes de água viva. E Deus enxugará dos seus olhos toda lágrima”. 

Este é o grande prêmio para aqueles que aceitam, creem e perseveram nas Divinas Promessas: “A Vida Eterna”. Que sobre nós seja a graça salvadora de Deus.

Por: Elias Alves

Fonte: Sou da Promessa