Um influenciador em seu tempo

Porque, embora seja livre de todos, fiz-me escravo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas. Tornei-me judeu para os judeus, a fim de ganhar os judeus. Para os que estão debaixo da lei, tornei-me como se estivesse sujeito à lei, (embora eu mesmo não esteja debaixo da lei), a fim de ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, tornei-me como sem lei (embora não esteja livre da lei de Deus, mas sim sob a lei de Cristo), a fim de ganhar os que não têm a lei. Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns.  1 Co 9:19-22 

Estes são apenas alguns dos desafios que o apóstolo Paulo enfrentou em sua época. Em nosso contexto atual, existem semelhantes desafios, dos quais não podemos fugir e nem negligenciar o dever e as oportunidades de apresentar o evangelho de Jesus de forma contextualizada, para quem vive nesse ambiente de pluralidade cultural.

Vivemos num país livre e globalizado, onde as manifestações culturais se misturam com aquilo que consideramos como tradicional e aceitável pelos mais conservadores. No Brasil podemos destacar alguns grupos, chamados de “tribos urbanas”, tais como: punks, nerds, góticos, emos, hippies, rappers, regueiros, surfistas, entre outros mais. Atualmente, esses grupos até ditam a moda e fazem com que os mais modernos se sintam ultrapassados num piscar de olhos.

A ordem de Jesus em Mt 28:19-20, inclui todos, em todas as épocas e em todos os lugares! Onde houver um ser humano, independente da sua opção de vida, maneira de vestir, raça, ou qualquer outro fator, precisamos urgentemente conduzi-lo para os braços de Cristo, o único que pode nos resgatar, libertar e salvar do poder das trevas.

A igreja moderna tem perdido, em parte, a capacidade de se relacionar. Tudo tem tomado nosso tempo: trabalho, família, ministério, problemas pessoais, em geral tudo tem tornado mais difícil a aproximação das pessoas. Poder se relacionar com pessoas é um princípio cristão, aliás, o relacionamento é a base da vida cristã. Jesus nos ensinou muito sobre relacionamentos. Ele se relacionava com todo tipo de indivíduo, desde discípulos a cegos, prostitutas, cobradores de impostos, líderes religiosos, bem como toda a multidão que o seguia. Ele foi considerado por muitos um revolucionário por onde passou. Por onde Jesus passava, algo diferente acontecia! Ele transformava o imutável; penetrava o impenetrável; falava o que muitos teriam medo ou vergonha de falar. Com certeza Jesus Cristo, foi um influenciador em seu tempo.

Precisamos criar paixão pelas almas, restaurar o ardor missionário! As pessoas estão em todos os lugares sedentas por Cristo e muitas vezes nós estamos tapando nossos ouvidos mediante o clamor do mundo. Precisamos nos sintonizar com Cristo e abrir os nossos corações para sermos agentes do Reino aonde vivemos. O mundo precisa de nós. Seja um verdadeiro embaixador de Cristo! Seja um arauto do Rei! Fazendo assim, com certeza estaremos cumprindo a missão que nos foi dada por Jesus em Mc 16:15: “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a TODAS as pessoas”.

“Deus se sentirá verdadeiramente adorado, quando olhar para nós, a sua criação, e ver o reflexo de sua identidade missionária.” (Pr. Ariovaldo Ramos).

Diego Barros – Diretor de Missões e Evangelismo da IAP Piedade/RJ