Suas prioridades revelam algo

A contemporaneidade nos exige decisões o tempo todo, temos que ser assertivos e rápidos e muitas vezes nos vemos perdidos, afinal, com apenas 24 horas, o dia não nos permite fazer de tudo. A pressão externa e as cobranças internas, podem aumentar o nível de estresse de uma pessoa, pois estão constantemente “correndo” para tentar satisfazer padrões ou cumprir metas.

Para dialogar sobre o tema, neste artigo, vamos falar de um grupo específico: as mulheres. Dentre os múltiplos papéis conquistados, as exigências cruéis, que cercam o universo feminino não diminuíram. Ainda estão cobrando das mães, uma criação que faça os filhos perfeitos. Impondo padrões de beleza, culpando as mulheres por diversas situações e exigindo delas cada vez mais. Engolidos pelo excesso, muitas vezes, perdemos o foco do que realmente importa, nos cegamos diante da vida e trocamos os nossos tesouros pelo o que é efêmero.

E quais seriam as estratégias de enfretamento deste contexto? Definir prioridades. Muito comum ouvirmos a expressão: “meu tempo é precioso”, corroboro com uma citação bíblica que diz: “onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração“. Aquilo que priorizamos investimos tempo, na atualidade o tempo é precioso, um tesouro, portanto, naquilo que investimos tempo diz onde está o nosso coração.

Prioridade significa eleger o que vem em primeiro lugar, ou seja, o que mais importa para nós. Para estabelecê-la é necessário conhecer quais são nossos objetivos e, a partir disto, concentrar esforços e renúncias para alcançá-la. Não são poucos os que, conforme vão surgindo as atividades corriqueiras, acabam esquecendo o que é prioridade e passam a abraçar novamente tudo o que vem pela frente. Quando se dão conta, já estão longe do que é mais importante.

Diante do que foi exposto, indagamos: Onde temos investido maior tempo? Estamos trocando, nossas relações, família, nossas crenças, valores, comunhão pelo que é temporário? O que nossas prioridades dizem sobre o nosso coração? Reflita e lembre-se: não se pode viver tudo! Nessa vida tudo é breve, o importante é viver o essencial e cada um de nós tem o seu próprio essencial.

Por: Jéssica Fernanda de Assis Pupo, psicóloga clínica, especialista em Saúde Mental pela Faculdade de Medicina/FAMERP e congrega na IAP do Jardim Urano ( S. J. do Rio Preto-SP).