Ser livre é outra coisa…

Como é bom vivermos em liberdade, acredito que a liberdade é um dom de Deus. Quantas vezes pela manhã, tenho a alegria de ver o sol nascer e contemplar o lindo céu azul de Votuporanga, pois parece que aqui na nossa terra o céu é mais belo e mais azul. Com toda certeza, Deus nos presenteou com essa bela natureza. Contemplo também a revoada dos pássaros e os seus cânticos esplendorosos, que denomino ser o “cântico da liberdade”. Sou amante da liberdade, pois creio que Deus, o nosso criador nos fez livres, com direito a escolhas em tudo. Creio que a melhor escolha é a vida. Atualmente tenho ficado um pouco espantado com algumas reivindicações que a mídia tem noticiado, como por exemplo, a de alguns grupos de pessoas que tem exigido a “liberdade de utilizar a maconha”. Essa manifestação se tornou conhecida como a “Marcha da Maconha”. 

Mas será que existe alguma sociedade que está preparada para conviver com a livre utilização das drogas? Falando especificamente da sociedade brasileira acredito que não, temos uma imensa dificuldade de atender crianças que ainda morrem nesse país por não lavar as mãos adequadamente, temos pelos grandes centros famílias inteiras jogadas a sorte em baixo de viadutos, convivemos ainda com a violência produzida no seio da família onde mulheres são vitimas de homens covardes e truculentos e por fim, estamos assistindo e parece que virou moda o abandono de crianças nos lixões de nossa pátria amada. 

Com essas poucas situações fico imaginando como essa nação que não conseguiu dar aos seus cidadãos um salário digno, moradia e educação adequada, pode querer a descriminalização da maconha. É sabido que a maconha é precursora de outros tipos de drogas, que até são mais agressivas. Muitas pessoas que hoje estão na dependência química e outros que entopem o sistema carcerário começaram utilizando um “simples baseado” que se dizia não fazer tão mal assim! Essa é uma grande ilusão. 

Gostaria de sugerir àqueles que estão reivindicando essa descriminalização e também ao poder público que faça uma pesquisa com pais, esposas, filhos, mães e etc. Que conversassem com aqueles que estão na dependência química e divulgassem para a população se existe alguma alegria ou satisfação no seio destas famílias, pelos filhos serem usuários de algum tipo de droga. Antes de pensar em descriminalizar algum tipo de droga, devemos repensar que tipo de sociedade queremos? 

O meu desejo é que tenhamos uma sociedade livre, mas capaz de julgar o que serve ou não pra ela. Acredito que qualquer tipo de vício é escravizador, sendo assim, vai contra a proposta de nosso criador que deseja que sejamos livres. Vivamos a liberdade que temos sem que sejamos escravos de coisa alguma. Como diz o apóstolo Paulo na sua primeira carta aos Coríntios no capítulo 6.12: “Tudo é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine”. Portanto viver na dependência química é uma escravidão, mas Jesus Cristo nos chamou para liberdade. Ele nos diz assim em João 8.36: “Se o Filho vos libertar, vocês serão livres”.

Lutemos para que tenhamos uma sociedade livre. Sejamos livres!!! 

Por Fernando dos Santos Duarte

Fonte: Sou da Promessa