E aí, me manda um nudes?

A prática de trocar fotos e imagens sugestivas é cada vez mais comum entre os brasileiros, principalmente, entre os adeptos de aplicativos de relacionamentos. Essa prática trata-se do ‘sexting’ uma junção das palavras sex e textinge que se refere à divulgação de conteúdos eróticos e sensuais através de celulares. Uma pesquisa realizada pelo C-date¹ revelou que 42% dos homens já enviaram nudes e que (pasmem – talvez, não sei… eu pasmei) entre as mulheres esse número vai para 51%. Ou seja, atualmente as mulheres superam a prática dos homens.

As adeptas têm afirmado que há benefícios: “isso gera confiança, intimidade… é uma arma de sedução”. No entanto, a ONG Safernet² , que há oito anos atua monitorando os crimes na internet, afirma que 81% das pessoas que pediram ajuda à ONG por terem imagens expostas de forma criminosa na internet eram mulheres. São cada vez mais comuns os casos de suicídio de jovens vítimas deste tipo de crime após ter uma foto divulgada pelo ex-namorado.

Fato é que sensualidade é literalmente esfregada em nossa “cara”. Corpos expostos, movimentos convidativos, desejos incentivados. Essa é nossa realidade, de todos nós, cristãos ou não. E o nude é só a ponta do iceberg de toda uma cultura. É um grito de socorro solitário e angustiante de uma geração que busca aceitação a qualquer custo.

Essa nossa geração valoriza tudo o que é sexy. E, na maioria dos casos, as principais vítimas são as mulheres, pois algumas pensam que só serão aceitas, vistas e admiradas à medida que mostrarem suas curvas nas redes sociais. Em outras palavras, o problema não é só o nude, mas todo o cenário no qual ele está envolvido³ .

Ao enviar um nude se expõe sua intimidade a um (ou uma) desconhecido(a). Não há relacionamento ali, não há o enlace orientado por Deus onde sim podemos intimamente nos relacionar. Há aqui uma quebra de pureza, uma queda moral.

É aqui que somos chamados de volta a Ele, que somos chamados a busca da pureza sexual através da mente de Cristo. Em Filipenses 4:8 lemos: “…tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas”. O Espírito Santo usando a carta de Paulo queria assegurar de que os todos nós colocássemos nossas mentes nas coisas devidas.

O mundo está cheio de coisas vis, ruins, sujas e obscenas. Muitos de nós vivemos em um estado mental que mancha tudo aquilo em que pensamos. No entanto, a mente do cristão deve estar cheia daquilo que é puro (“tudo o que for puro”). Nossos pensamentos devem ser limpos. Se você não caiu nessa ainda, peça a Deus que lhe dê sempre um coração puro que se afasta do mal. Se por outro lado, você já fez alguma vez, peça perdão a Deus e se encha de tudo que é “verdadeiro, correto, puro, amável, de boa fama e digno de louvor”. Que Deus nos abençoe!

Por: Airton Dias casado com Hélida Maia Vasconcelos Dias, mestre em Ciências de Materiais na Unesp, Doutor em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutor em Cronologia e Raios Cósmicos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Professor e atual secretário do Ministério com Jovens.

  1. Tribuna do Ceará em Mulher de 28/10/2016
  2. Universa de 13/03/2018
  3. http://www.institutogamaliel.org/a-geracao-crista-que-manda-nudes