Por que posso acreditar na Bíblia?

O bestseller mais vendido no mundo é a Palavra de Deus

Nasci numa família em que a Bíblia fazia parte de uma grande biblioteca pessoal, entre tantos outros incontáveis livros de filosofia, matemática, romance, história. Na adolescência, um amigo não cristão disse que tinha um livro cheio de profecias acerca dos fins dos tempos, com histórias de serpentes, bestas e destruição. Fiquei apavorada. Mas o que é a Bíblia? O que ela diz a respeito de si mesma? Ou ainda, por que eu posso (e devo) acreditar na Bíblia?

A Bíblia é o bestseller  mais vendido no mundo: “Há cerca de 50 anos, a Bíblia se tornou o livro mais vendido no mundo e, desde então, permanece no primeiro lugar do ranking. São aproximadamente 3,9 bilhões de cópias espalhadas pelo planeta traduzidas em mais de dois mil idiomas e dialetos. Em cada país, existe uma Sociedade Bíblica responsável pela garantia da verossimilhança das traduções com o texto original. Haja cristãos…”[1]

Não há outro livro a se comparar com a Bíblia, ela é única. Ela é a Palavra de Deus! A revelação escrita de Deus, fonte de sabedoria, de conhecimento, de verdade, de confiança, pois vem do próprio Deus. As Escrituras são o registro escrito inspirado por Deus.

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino,…”  (2Timóteo 3.16).

“Pois jamais a profecia teve origem na vontade humana, mas homens santos falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo” (2Pedro 1.21).

“Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo. … sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa…” (Hebreus 1.1-2b).

“Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus” (Romanos 1.17a).

“…mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente” (Isaias 40.8b).

“…não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito…” (1Coríntios 2.13).

Como explicar a harmonia entre 66 livros (AT e NT), escritos num período em torno de 1500 anos, por 40 pessoas diferentes, que trabalhavam em diversas áreas (médico, rei, pescador) e em regiões distintas?

A resposta está em que a Bíblia é a própria palavra de Deus revelada ao homem, cujo tema único e central é o Messias, o Senhor Jesus Cristo, aquele que dividiu a história, cujo túmulo está vazio e vive para sempre! “Então Jesus abriu a mente deles para que eles entendessem as Escrituras Sagradas e disse: – O que está escrito é que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar. E que, em nome dele, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações…” (Lucas 24.45-47).

Enfim, eu posso e devo crer na Bíblia porque ela é maravilhosa (Sl. 119.18), porque ela é viva e eficaz (Hb 4.12), porque estudar as Escrituras enche o coração de alegria (Sl. 119.14,16; Sl 19.7-9), porque são mais doces do que o mel (Sl. 19.10), porque a Bíblia renova e transforma a minha mente e eu posso experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm 12.2).

 

Manuela Fava e Souza Rozanez, vice-diretora da Fesofap

 

1] http://www.guiadasemana.com.br/literatura/noticia/os-13-livros-mais-vendidos-da-historia – acessado em 09/12/2016

Nenhum comentário

Comentários estão desativados