O tempo é curto ou longo?

A maneira como o empregamos define nossa atitude de vida

O tempo é algo que não conseguimos definir corretamente. Entre todos os significados no dicionário, escolhi esta: “época determinada em que ocorreu um fato ou existiu uma personagem”. Por isso, considero algo indefinido.

Alguns  exemplos: para um casal de apaixonados, o tempo é curto quando estão juntos; para uma mãe que espera, ansiosa, pela chegada de um filho, o tempo é longo; para um empresário que necessita fechar um negócio muito importante, o tempo demora; para a adolescente que espera, eufórica, para chegar aos quinze anos, o tempo não passa; para as pessoas da Melhor Idade, o tempo passou rápido e quanta coisa poderia ter sido feito se não tivessem perdido tempo.

E nós, mulheres, o que estamos fazendo com o nosso tempo? Poderíamos pensar em alguns fatos na Bíblia, por exemplo, aquela mulher do fluxo de sangue, quanto tempo esperou para receber a sua benção. Ou na espera ansiosa de Maria para contar para José que havia sido escolhida para ser a mãe do Salvador.

Mas faço um questionamento para nós, mulheres, servas de Deus, escolhidas  para fazermos a diferença em um mundo de trevas, como anda o nosso tempo? Temos desejado a volta de Cristo? Temos dedicado o nosso tempo na obra dele? Temos passado tempo de qualidade com a nossa família? Enfim, o que temos feito com o nosso tempo?

Muitas mulheres andam gastando o seu tempo precioso com coisas que não acrescentam nada. Muitas mulheres gastam horas na internet, no whatsapp, no celular e os filhos precisando da mãe, de sua atenção. Irmãs, precisamos acordar e perceber que o nosso tempo deve ser gasto com algo que preenche  nosso espírito.

Não podemos ser levadas por coisas que vêm para roubar a nossa paz. A palavra de Deus, em Eclasiastes 3, diz que tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou…

Precisamos acordar e perceber que ainda temos como recuperar o tempo perdido, tirar do caminho tudo aquilo que tem nos impedido de ter comunhão com Deus. Somos fortes, somos guerreiras, mulheres valorosas. Precisamos tomar uma atitude de mudar a maneira como empregamos nosso tempo, para que a nossa história fique marcada na vida daqueles que passaram tempo conosco nesse mundo.

 

Dsa. Vera Lucia Almeida Machado é diretora da Sociedade Feminina da IAP em Vila Nova Goiânia (GO).