O que faz um herói?

Empresas como Marvel, DC e Hollywood tem muito êxito em seus empreendimentos porque exploram bastante o extraordinário. Gostamos de imaginar como seria se tivéssemos super poderes, e se com apenas um golpe ou uma simples manobra de nossas mãos pudéssemos mandar para longe nossos inimigos.

Os quadrinhos, telinhas e telonas estão cheias de opções neste sentindo e nos prende de tal maneira ao ponto de que, hora ou outra, nos identificamos com algum “Super herói ”

Enxergamos neles defeitos e fraquezas nossas, então, lá no fundo, almejamos um dia ter a mesma sorte e nos tornarmos poderosos para vencer os inimigos que nos afrontam.

A questão é que na vida real não é assim que funciona. A chance de sermos picados por um inseto radioativo, ou encontrarmos uma pedra vinda do espaço ou até mesmo sequestrado por uma organização secreta e treinado(a) para matar, recebendo doses de algum medicamento que nos dê uma força sobre-humana é muito, mas muito pequena mesmo, na verdade é inexistente rsrs.

O problema é que, geralmente, ficamos parados esperando o extraordinário acontecer em nossas vidas quando na verdade precisamos entender que na vida real não é o EXTRAORDINÁRIO que move nosso dia a dia, nossas conquistas são resultados do ORDINÁRIO, aquilo que é comum, que se repete com regularidade, e a bíblia assim nos ensina.

Dentre os muitos exemplos bíblicos que poderíamos citar, destaco Davi. O capítulo 17 do livro de I Samuel registra um acontecimento extraordinário em que um rapazinho derrota um gigante de quase três metros de altura, – acredito que conheça bem este relato.  Ao ler essa história não deveríamos fitar nossos olhos apenas no extraordinário, o fato desse gigante ter sucumbido diante de um garoto com uma espécie de estilingue na mão, cinco pedras lisas e uma mira super poderosa. Não! Davi não é uma criação da Marvel, DC ou Hollywood, a mira e a valentia dele não foram resultados de uma experiência científica, muito menos por conta de um encontro alienígena. Aquele menino que se tornou um ícone em Israel e respeitado até pelos inimigos de sua nação é fruto de uma vida de comunhão com Deus.

Alguns detalhes na história de Davi, que se inicia no capitulo 16 de I Samuel, nos dão conta que ele ordinariamente nutria uma relação íntima com o Criador. A maneira como Deus o escolhe para ser Rei em Israel, a coragem, o cuidado e responsabilidade para com as ovelhas de seu pai, o coração humilde e o olhar especial foram forjados no campo, diante de desafios diários e reais, como noites mal dormidas, dias longos debaixo do sol escaldante, frente a inimigos letais como leões e ursos. Porém o que mais me impressiona é, que mesmo em meio a todas essas intempéries, ele compunha salmos e hinos de louvor a Deus.

O que podemos aprender com Davi é que, em primeiro lugar, os verdadeiros heróis são aqueles que  lutam suas batalhas com os joelhos no chão e um coração quebrantado e dependente de Deus. Em segundo lugar, o seu maior legado não foi ter derrotado um gigante, mas o de ter sido o maior pastor que Israel teve e um homem segundo o coração de Deus.

Sejamos como Davi, desfrutemos de maneira ordinária a companhia do Deus EXTRAORDINÁRIO.

Por: Elcio Ferreira Pimenta, Pastor da Igreja Adventista da Promessa em Campo Presidente Prudente, casado com Marli Alves de Melo Pimenta, pai de Gustavo Melo Pimenta e Guilherme Melo Pimenta