O milagre chegou!

Depois de oito anos de casada, Deus me concedeu um filho

O sonho de grande parte dos casais é ter filhos e, para mim e meu marido, não

era diferente. Em 2007, já estávamos com dois anos de casados, e decidimos

que era hora de ter um bebê. Mas os meses foram se passando, e eu não

conseguia engravidar.

Passados oito meses de tentativas, fui ao médico, que me pediu um ultrassom

e constatou que eu tinha ovários policísticos. A médica disse que eu teria

dificuldades para engravidar, mas que eu não me preocupasse.

O tempo foi se passando, passei por vários médicos, fiz tratamento com

remédios mas não engravidava. Comecei a ficar angustiada e clamei a Deus.

Ele sempre me confortava dizendo que eu teria filhos, mas é muito difícil

esperar.

Em 2011, depois de quatro anos, o médico me pediu outro exame e então foi

constatado que minhas trompas estavam obstruídas. Foi então que fiquei

arrasada e ele disse que era praticamente impossível eu engravidar.

Comecei a fazer tratamento a mais de 400 quilômetros de distância da minha

casa. Durante dois anos, fui ao Hospital das Clínicas de Curitiba (PR). Os

médicos falavam que minha única esperança era uma cirurgia nas trompas,

mas infelizmente a espera era longa. Eu estava muito angustiada.

Mas então, comecei a ver Deus agir. Falaram-me de um médico particular,

procurei por ele e Deus, que é riquíssimo em misericórdia, preparou o dinheiro

para que eu fizesse a cirurgia, em fevereiro de 2014.

Achei então que tudo iria se resolver, mas comecei a passar por um problema

conjugal muito sério. Parecia que meu sonho e as promessas de Deus não

iriam se realizar em minha vida.

Foi muito difícil, mas na noite de 9 de outubro falei pra Deus que tudo estava

nas mãos dele, e não procuraria mais os médicos. Naquela madrugada, depois

de meses sem que eu menstruasse, eu menstruei, vi que ele já estava

respondendo minhas orações.

Finalmente, em novembro, resolvi fazer teste de gravidez e deu positivo. Não

conseguia acreditar. Fiz outro em outro laboratório que confirmou a gravidez.

Porém, dois dias depois, perdi o bebê.

Fiquei muito triste, comecei a questionar Deus, mas Ele acalmou meu coração,

dizendo que aquela gravidez era sinal de que Ele havia me curado.

Passei a menstruar todos os meses sem remédio, o que, para mim, era uma

alegria. Depois de cinco meses, eu estava grávida novamente, então tive a

certeza que Deus tinha me curado.

Estava tudo tranqüilo, uma gravidez ótima. Mas em setembro, com apenas seis

meses de gravidez a minha bolsa rompeu e o bebê precisou nascer às

pressas. No momento da cesárea, a médica descobriu mais um problema: a

endometriose. O meu pequeno Henrique passou 80 dias na UTI mas hoje esta

bem, para glória de Deus, com cinco meses de vida.

Este é o meu testemunho para você. Muitas vezes, Deus permite que

passemos por momentos difíceis para que a Glória dele se manifeste em nossa

vida!

Eline, diaconisa na IAP em Jacarezinho (PR).

Nenhum comentário

Comentários estão desativados