O fruto do justo

“O fruto do justo é Árvore de vida, e o que ganha almas sábio é”Pv.11:30

Todo aquele que lavra a terra sabe que, para uma boa colheita são necessários vários cuidados. A começar pelo preparo do solo, a escolha das sementes, a estação, a adubagem, a irrigação, o controle das pragas, observando as particularidades exigidas para cada tipo de plantação, se lavoura, horta, pomar…, além dos riscos que podem ser causados pelas ações da natureza, seca, enchentes, terremotos…

A Bíblia apresenta várias citações comparando a lei da semeadura e colheita com a vida do ser humano. O apóstolo Paulo escreve na carta aos Gálatas 6:7 “…tudo o que o homem semear isso também colherá.”

Salomão também utiliza a mesma metáfora ao afirmar que “o fruto do justo é árvore de vida”. Para uma colheita próspera é preciso investimento no cultivo, pois não há fruto sem árvore.

Na sequência do verso o autor complementa “… e o que ganha almas sábio é.” Interessante que quando falamos na proclamação do Evangelho, de imediato nos lembramos dos Atos dos apóstolos registrados no Novo Testamento, entretanto essa missão sempre acompanhou o povo de Deus em toda a história. Raabe e Rute foram algumas das mulheres que abandonaram suas crenças e obtiveram uma fé genuína convertendo-se ao único Deus de Israel.

Falar de Jesus, resgatar vidas da morte, proclamar a salvação, anunciar as boas novas, ganhar almas é incumbência nossa e Salomão define como: ser sábio.

Para sermos frutíferos espiritualmente em todo o tempo e sábios ganhadores de almas, precisamos estar ligados na videira que é Jesus Cristo:

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor… quem permanecer em mim, e eu nele, esse dá muito fruto…” João 15:1-5

 Dsa Fabíola Gonçalves – IAP Santos SP