No fundo do poço

“Estou encurvado e muitíssimo abatido; o dia todo saio vagueando e pranteando. Sinto-me muito fraco e totalmente esmagado; meu coração geme de angústia. Meu coração palpita, as forças me faltam; até a luz dos meus olhos se foi. Como um surdo, não ouço, como um mudo, não abro a boca. Fiz-me como quem não ouve, e em cuja boca não há resposta.” (Salmo 38: 6,8,10,13-14)

Quando lemos as palavras de Davi no Salmo 38, vemos este homem piedoso e justo chegando ao limite da sua resistência. Ele está arrasado, desencorajado, triste, e a luta esgotou toda sua força.

Ao lermos este salmo, imaginamos Davi destroçado em meio ao desespero. Talvez o que o incomodasse mais, era que não conseguia entender o porquê de subitamente ficar tão arrasado. Era um homem que tinha fome de Deus, e seu coração se derramava diante dEle diariamente em oração; reverenciava Sua palavra, escrevendo salmos que exaltavam Sua glória. Mas agora, em depressão, tudo o que conseguia gritar era: “Senhor, cheguei ao fundo do poço. Não tenho força para realizar o mínimo. E não tenho ideia por que isto me sobreveio”.

Tal como muitos cristãos desencorajados de hoje, Davi tentou entender porque se sentia tão vazio e falido no espírito. Ele provavelmente reviveu todas as falhas, os pecados e coisas erradas de sua vida. Finalmente, Davi avaliou que Deus deveria estar lhe castigando, lhe cobrando algo. Ele clama: “Senhor, não me repreendas no teu furor nem me disciplines na tua ira. Pois as tuas flechas me atravessaram, e a tua mão me atingiu. Por causa de tua ira todo o meu corpo está doente; não há saúde nos meus ossos por causa do meu pecado. As minhas culpas me afogam; são como um fardo pesado e insuportável.” (versos 1-4).

Davi não está apenas escrevendo em relação à sua própria situação neste salmo. Ele está descrevendo algo que todos os que amam Jesus enfrentam em algum ponto da vida o desencorajamento e a culpa. Todo cristão está sujeito a ser inundado por essa súbita e inexplicável experiência. O cristão não traz isso para si, e nem o Senhor o envia.

O clamor de Davi é o seu clamor? Deus será sempre amoroso conosco em nossa fragilidade, mas nunca devemos permitir que a incredulidade se firme em nossos corações. Por que todo castigo sobre nós já foi assumido por Cristo na cruz.

Para quem está no fundo do poço, só resta uma alternativa: Olhar para cima. Vamos a Deus em oração, na mais completa honestidade, dando ao Espírito Santo tempo para realizar Sua obra. Digamos a Ele: “Pai, assim como tiraste Jesus da sepultura, me tire também desta situação horrível. Reconheço que não tenho mais força”

E depois saiamos do poço, com toda força espiritual, cantando como Davi: “Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro. Ele me tirou de um poço de destruição, de um atoleiro de lama; pôs os meus pés sobre uma rocha e firmou-me num local seguro. Pôs um novo cântico na minha boca, um hino de louvor ao nosso Deus. Muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.” (Salmos 40.1-3)

Por: Pr. Elias Ferreira

Fonte: Sou da promessa