Não perca o sinal

Em pleno século vinte e um, a população em sua grande maioria, cada vez mais, tem se tornado refém do ativismo e da falta de planejamento. É de fato uma correria, não temos paciência para quase nada que seja preciso esperar, exemplo disso, é quando abrimos a tela do computador e visualizamos aquela bolinha girando fazendo “download/carregando”. Queremos tudo na hora, da maneira mais fácil, mais simples e veloz. Acordamos bem cedo, preparamos o café da manhã, colocamos os filhos de pé, revistamos as mochilas, como em um passe mágica trancamos todas as portas e partimos rumo ao destino de cada um: escola, trabalho ou até mesmo retornamos para os afazeres domésticos, que por sinal, nunca acabam.

O fato é que, nessa correria desenfreada, nosso tempo acaba sufocado ao ponto de desejarmos que ao invés de 24horas, o dia tivesse 48 horas. O cansaço físico se aloja e terminamos por muitas vezes sucumbindo no nosso relacionamento com o Pai Eterno. Sem perceber, fixamos o olhar nas coisas da terra e nos distanciamos das coisas do céu. Achamos que apenas ir à igreja uma ou duas vezes na semana já é o suficiente para alimentarmos nosso espírito. Puro engano! Agindo assim, nosso sinal com Deus fica fraquinho, sem frequência. A esse sinal chamo de intimidade e relacionamento.

Ainda que as coisas do dia a dia pareçam roubar o nosso tempo, há como ter controle sobre ele. E o apóstolo Paulo nos dá um nobre conselho: “Mantenham seus pensamentos nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas” Cl 4:2. Quando o apóstolo fala em “manter” o pensamento em Deus é porque de fato pensamos nele, mas não necessariamente o suficiente para não perdemos a atenção nas coisas espirituais. Quando não paramos para se ter um momento de solitude com o Senhor, perdemos o sinal com o céu e nos afogamos apenas nessa vida que é tão passageira e difícil. Sim, difícil! Porque sem ligação íntima com o nosso Deus, nosso fardo torna-se pesado demais ao ponto de nos esquecermos que em Cristo nosso fardo pode ser leve. Também achamos que nada dá certo para nós, murmuramos, olhamos as perdas e não nos alegramos com o privilégio da salvação e vida eterna. De fato, essa vida passa a ser uma questão de sobrevivência e não de prazer e privilégio por ter sido alcançado pelo amor mais verdadeiro que já existiu.

É preciso meditar nas Escrituras para acender em nosso coração as maravilhosas promessas de Deus “…não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que não se veem, porque as que se veem são temporais e as que não se veem são eternas” (2Co 4:18)

Não perca o sinal com o Criador, Ele é o autor da sua e da minha história. Nenhum plano feito por nós pode dar tão certo quanto os que são planejados por Ele. Nenhum caminho que escolhemos percorrer pode ser tão deleitoso quanto o que Ele traçou para nós. “Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus” (Cl 3:1)

Por: Sandra Magalhães Lopes de Lima, pedagoga, congrega em Alagoas/SE.