Não basta ser pai, tem que participar!

 “Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor.  Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças. Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar. Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. ” – Dt 6.4-8

 Filhos são herança do Senhor (Sl 127.3), por isso os pais têm o dever de cuidar com excelência destes maravilhosos presentes. E este cuidado é manifestado na participação paterna. No denominado grande “Shemá” ou “ouçam com toda atenção à Palavra do Senhor” temos orientações objetivas a este respeito para que os pais jamais esquecessem:

Que a orientação primária é espiritual“Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor. ” Somos Povo de Deus. Temos um relacionamento pessoal com Ele. Ele é nosso. O Senhor não está distante da família e sim cuidando de todos os detalhes da história familiar. Ele é o único Senhor. Um Deus que é incomparavelmente superior a tudo e a todos. Pai, fale de Deus para seus Filhos e fale de seus Filhos para Deus.

Que por sermos amados primeiro, nossa resposta também deve ser o amor  “Ame o Senhor, o seu Deus, e todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças. ” Deus nos amou primeiro, sem reservas e não considerou nossas falhas. Somos Filhos da graça, do coração, do perdão, da misericórdia, da fidelidade e do sacrifício do Cordeiro de Deus. Por isso a exigência é uma entrega com intensidade do nosso caráter, dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos. Pai, o amor a Deus é a maior herança que você pode deixar para os seus Filhos.

Que devemos ensinar nossos filhos com perseverança“Ensine-as com persistência a seus filhos. ” O caráter dos nossos filhos não será formado com palavras soltas ao vento, de vez em quando e de forma subjetiva. Não há espaço nesta ordenação para a terceirização do ensino. A formação acontece no lar a começar pelo líder que é o pai. Pai, nunca desista de seus Filhos.

Que a participação na vida dos nossos filhos deve ser priorizada – “Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar. ”  Esta participação exige comunhão – “Converse”. Não é com gritos, com imposição e sim com olhares encontrados, com respeito, com carinho, explicando o porquê de as coisas serem como são ou como devem ser, respeitando os limites da idade. Lembrando ainda, que essas atitudes serão repetidas pelos nossos filhos na convivência deles. E não há como viver esta participação sem o investimento do tempo. Sentar, andar, deitar, levantar exige tempo e prioridade. Era a jornada de um dia inteiro. Um discipulado, um acompanhamento, um caminhar lado a lado em todas as fases dos filhos. Pai, observe como seus Filhos são especiais.

Que a participação na vida dos Filhos deve ser o tema principal da vida dos pais – “Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. ” Afinal, os filhos não são joias preciosas que o Senhor nos entrega por um breve período de tempo? Cuidar deles não deve ser um fardo, mas um motivo de alegria, de sacerdócio, de objetivo da “primeira missão” da família que é salvar seus Filhos. Então a participação efetiva não pode ser esquecida, deve ser como um lembrete escrito nos braços que representa força e autoridade, e na testa, a liderança. A verdade com amor não destrói ninguém. Pai, nunca é tarde para recomeçar a paternidade.

Os versículos seguintes do contexto Bíblico, falam que estes lembretes deveriam estar também nos umbrais dos lares e nos portões da cidade. Tudo isso, por que o Todo-Poderoso estava dando para as famílias Israelitas uma herança que por si só expressava o melhor da providência Divina, uma terra que manava leite e mel.

Só nos resta orar: “Dá-nos Senhor, ouvidos para ouvir e sabedoria para viver tamanha benção, para que em nossos lares não falte a brancura e o sustento do leite, e a doçura do mel. ”

No Senhor Jesus,

Por: Elias Alves Ferreira esposo da Marilsa Ferreira pai da Marilis e do Eliel e avó do Benjamin e Vinicius, pastor aposentado auxilia no Ministério de Vidas Pastorais da Igreja Adventista da Promessa