LUTE POR… seu casamento

15Gênesis 2:18 “Então o Senhor Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele al­guém que o auxilie e lhe corresponda”. E foi assim que iniciei a procura pelo meu par perfeito, minha “alma gêmea!” Pedi a Deus uma pessoa que me completasse em todos os momentos, bons ou difíceis, e eu a ele. E assim foi… muitos até brincavam comigo dizendo: não tem como duas pessoas tão diferentes se relacionarem como “uma só”. Mas no início, tudo eram flores! Lua de mel muito doce, tudo parecia perfeito! Até que de repente, a rotina chega e com ela as responsabilidades do dia a dia e iniciam as cobranças! E agora, cadê o cumprimento dos votos de casamento? Cadê a pessoa que me auxiliaria e me corresponderia? Onde foi parar o amor?

Qual a primeira coisa a fazer quando aparentemente o amor acabou, e só sobraram discórdias, brigas, discussões e poucos momentos de alegria? Lendo Filipenses 2:2 “Completai a minha alegria de modo que, penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento.” O amor não acabou! Se Deus os uniu, o que está faltando é renovarem a união de  seus pensamentos, serem novamente uma só carne, unidos de alma. Mas como fazer isso? Como reiniciarmos a união de nossos pensamentos? Orando juntos, orando pelo cônjuge, buscando em Deus o quebrantamento de todos os sentimentos oriundos de nossa natureza terrena.  Em Coríntios 13:4-7 diz: O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

Até que ponto estamos interessados em recuperar o outro que se perdeu do objetivo do casamento? A incrível mulher relatada na bíblia, chamada Rute, quando teve a oportunidade de reiniciar sua vida sozinha (por morte de seu marido), trilhar um novo caminho, ela não o fez, não pensou só nela e em seus anseios terrenos, ela disse a sua sogra Noemi: “Deus mudou o teu caminho até juntares com o meu e guardou a tua vida separando-a para mim. Para onde fores, irei; onde tu repousares, repousarei. Teu Deus será o meu Deus. Teu caminho o meu será.” Rute era tão unida com a sua sogra, tinha um amor e parceria tão boa com ela, que não a deixou, mesmo num momento tão difícil… Não haja como Orfa (a outra nora de Noemi), não abandone sua união! Faça como Rute, cultive o amor e o companheirismo!

Guarde em seu coração e mente: Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de coração compassivo, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição.”

Se no nosso cotidiano conseguimos ser amorosos, tolerantes e determinados em nossas amizades, com nossos laços familiares e até com  desconhecidos, por que dentro do seu lar, com sua família, você não consegue superar as diferenças e dificuldades? É tempo de renovar aquele lindo amor que um dia houve entre vocês, o qual é o símbolo da perfeição! Não desista! Casamento blindado no amor: família feliz, vida feliz, e igreja fortalecida! Sê forte e corajosa! Deus é contigo!

Por: Carla Matielli, casada com Pb. Alexandre Rodrigues, 3 filhos, congregam em Piedade/RJ. Formada em engenharia civil, secretária da Ministério de Mulheres Regional/RJ.