Leia Mais: Arrumando as malas

A Bíblia relata que, depois de haver criado tudo, “Deus olhou para todas as coisas que havia feito; tudo era tão bom; tudo era ótimo!”(Gn 1:31 – Bíblia A Mensagem). O mundo está repleto de lugares exuberantes e culturas diferentes que despertam o desejo de conhecê-los.

Viajar é algo muito estimulante, com a descoberta de novos lugares, no Brasil ou fora dele, diferentes culturas e hábitos, ampliando os horizontes. Traz conhecimento, interação, leva a se enfrentar desafios, é aventura, emoção, algo vivido que fica para sempre na memória. Uma viagem proporciona mudança de ritmo de vida, rotina, horários, clima e quem descobre esse prazer sempre vai querer mais.

Já é possível se conhecer diferentes lugares em apenas alguns dias. Atualmente, os preços mais acessíveis das companhias aéreas, hotéis e pacotes das agências e operadoras de turismo, além da facilidade de pagamento, têm proporcionado aos interessados atravessar fronteiras e conhecer o mundo. O que era considerado artigo de luxo para poucos hoje é bastante viável. Entre os setores que mais crescem no turismo, desponta o do público da terceira idade (ou “melhor idade”) para conhecer novos destinos: pessoas acima de 60 anos, aposentados ou pensionistas.

Em diferentes locais, lá estão eles, pontuais, curiosos abertos para novas descobertas, senhores e senhoras experientes, com seus 70, 75, 80 anos, prontos para desbravar o mundo, para o quê, afinal, não há idade. O desejo acalentado por longos anos se torna uma doce realidade, casais, outros, já viúvos, com amigos conquistados ao longo dos anos ou em família.

Cuidado com a escolha

Existe uma infinidade de roteiros interessantes. No Brasil, pode-se citar a Pousada do Rio Quente que, em datas específicas, concede gratuidade para pessoas acima de 60 anos, desde que acompanhadas por dois adultos pagantes, no mesmo apartamento, e pacotes interessantes para as belas praias de Fortaleza, Natal e Maceió. Há, também, viagens de três ou quatro dias para Buenos Aires ou Santiago. Os sonhados cruzeiros marítimos, com duração entre três e sete noites, também são uma boa opção. Eles cumprem roteiros na costa brasileira, com paradas no Uruguai e/ou Argentina, possibilitando ao viajante visitar esses países. Os navios têm ótima infraestrutura, com atividades físicas acompanhadas por monitores, shows, cardápios variados e uma equipe bem preparada para receber os turistas. Incluem-se, ainda, as desejadas viagens em grupo pela Europa, com roteiros que permitem conhecer belas nações como Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Alemanha, entre outras, muitos dos itinerários com acompanhamento de guias falando em português. Isso sem se falar em destinos paradisíacos como Cancun e Punta Cana, no Caribe, ou cidades modernas dos

Estados Unidos, como Nova York e Miami.

No entanto, atenção!

Algumas dicas são importantes na hora de escolher uma viagem: 0 Procure agências credenciadas pelo Cadastur (Ministério do Turismo), assim será possível conhecer a empresa contratada e ter a quem recorrer em caso de dúvidas.

0 Escolha o roteiro com cuidado. Qual o meio de locomoção: carro, avião, navio? Quantos dias de viagem? Quais os locais visitados: Brasil ou exterior? Será viagem em grupo ou somente com a família ou amigos?

Na escolha do roteiro, fique atento aos serviços incluídos de alimentação: somente café, meia pensão (café e jantar), pensão completa (café, almoço e jantar) ou sistema all inclusive (refeições e bebidas incluídas na hospedagem). O roteiro exige caminhada? Existe algum passeio incluído no destino ou eles devem ser adquiridos à parte, no local? Em caso de viagem internacional, há um dia a dia definido?

Feche o contrato e peça sempre uma cópia deste e da reserva, para ter as informações de data e horário de saída e lugares a serem visitados.

Consulte os documentos necessários para a viagem: no Brasil, documento de identificação original com foto; em países como Argentina e Chile, RG original recente e em bom estado de conservação ou passaporte válido; na Europa, passaporte, seguro de viagem, passagem aérea de ida e volta e comprovação de hospedagem. Alguns países, como Estados Unidos e Canadá, exigem visto, por isso é necessário sempre consultar a informação no momento do fechamento da viagem, pois há variação de documentos exigidos para embarque, de acordo com o destino escolhido.

Caso a viagem seja aérea e o passageiro tenha dificuldade de locomoção, precisando de assistência para embarque, é necessário avisar o agente de viagens, que pedirá auxílio para locomoção até a aeronave.

Também é possível solicitar refeição especial para vôos internacionais para quem possua restrição alimentar, dieta especial ou controlada. Mas, lembre-se: isso deve ser feito com antecedência, para que haja tempo para a empresa aérea se programar.

Para arrumar as malas, procure saber o clima do local visitado. Opte por calçados já em uso, para não machucar os pés, não se esqueça do protetor solar, que deve estar sempre na mala e nunca esqueça um agasalho, ainda que a previsão seja de calor, para uso em avião ou áreas internas de navio, devido ao arcondicionado.

Em caso de viagem para o exterior e  ecessidade de remédios de uso contínuo durante o percurso, procure o médico com antecipação e peça uma receita para levar junto com os medicamentos, lembrando-se de deixálos em local de fácil acesso. Faça um checkup antes do embarque para certificar de que está tudo bem, a fim de assegurar uma viagem tranquila e desfrutar dias agradáveis.

Faça um seguro de viagem junto com a compra do pacote (as próprias agências oferecem esse produto a preços acessíveis). Ele é indicado para alguma eventualidade ou necessidade de assistência médica ou odontológica, além de imprevistos. Pense que você estará fora de casa e que ele fará toda a diferença.

Durante a viagem  cuidado com tentações gastronômicas e, principalmente, alimentos apimentados e fortes.

Na hora de preparar as malas, coloque o essencial para o período previsto. Nada de levar metade do guarda-roupa. Opte por malas práticas com rodinhas ou de fácil manuseio e identifique a bagagem com etiquetas e um lenço ou fita que auxilie na identificação no momento da retirada das esteiras.

Faça uma programação de acordo com as próprias limitações. Não sobrecarregue o dia a dia com muitas atividades.

Sem se obrigar a conhecer tudo, há mais condição de aproveitar ao máximo o que tiver oportunidade de apreciar.

Se ainda não começou a viajar, sempre haverá tempo. Afinal, viajar é muito bom, ainda mais na melhor idade.

Fonte: Adriana Coveiro – Agente de Viagens em O Clarim, edição 62 – páginas 59-62