Gratas pelas misericórdias renovadas

Ao olharmos ao nosso redor, não é difícil percebermos pessoas reclamando da vida, daquilo que não conquistaram, do que perderam e das frustrações sofridas. É um cenário triste, muita murmuração e descontentamento pela vida. Parece que a gratidão só é exercida pelos grandes feitos e milagres vividos. O mérito está em atingir o topo de tudo, não valorizando as pequenas conquistas diárias fruto da bondade e da misericórdia do nosso Pai celestial.

Recordo-me de quando criança reclamar do canto dos galos, achava aquele som insuportável, todas as vezes que murmurava com aquele “barulho”, minha avó materna retrucava: “minha filha, eles estão louvando a Deus”. Como assim? Essa ideia era inconcebível na minha mente, até abrir a Bíblia e ler em Salmos 150:6: “Tudo que tem fôlego, louve ao Senhor”. Minha concepção mudou. Comecei a ver a manifestação de Deus em tudo e isso me trouxe um coração grato. Comecei a agradecer a Deus por tudo: pelo vento, pelo sol, pela chuva, pelos batimentos do coração, ou seja, passei a ver que tudo era fruto da misericórdia de Deus.

O profeta Jeremias nos ensina no livro de Lamentações, capítulo 3 e os versículos 22 e 23: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; novas são a cada manhã; grande é tua fidelidade”. Essa verdade existe para nos transformar, para nos fazer entender que nada é sobre nós mesmos, mas tudo sobre o querer e o efetuar de nosso Deus. Você já parou para pensar no fato de Deus te recompensar pelos teus merecimentos? O que ele te daria? Até a vida que temos em nós não é nossa, pertence a Ele.

É maravilhoso saber que, ainda que pecadores o nosso Deus exerce sua misericórdia todos os dias sobre nós e mais maravilhoso ainda é desfrutar dessa misericórdia de forma infinita, pois a Palavra de Deus nos garante: “ela não tem fim”. A cada nascer do sol as misericórdias do Pai Eterno iluminam e aquecem nossas vidas apagando nossos erros, irradiando em nossos olhos uma chance de recomeçar.

Somos tão falhos, tão cheios de defeitos, tão ingratos, mas o nosso Deus não é, grande é a sua fidelidade. Em nós mesmos nunca seremos merecedores de tamanha misericórdia, mas através do sacrifício de Jesus Cristo somos alcançados pela sua bondade todos os dias. Por isso devemos ser gratos e trazer à memória aquilo que nos traz esperança

E o que pode nos dar esperança? A certeza que temos um grande Deus que trabalha por aqueles que nele esperam. Todo aquele nEle espera jamais será envergonhado. Todo aquele que confia em seu caráter, em sua Palavra e em suas promessas triunfará. Suas misericórdias não têm fim, renovam-se a cada manhã, por isso, é tempo de avançarmos rumo ao futuro com um cântico nos lábios.

Por: Sandra Magalhães Lopes de Lima, pedagoga, congrega em Alagoas/SE.