Gratas pela conexão ilimitada

Se você tem mais de 20 anos provavelmente vai ser lembrar do tempo em que a internet era discada. Era um misto de “sofrimento” e empolgação, sem falar do “status” que era ter acesso à internet: quem tinha um computador em casa (ainda que usado) era considerado “rico”, internet, então, nem se fala. A internet era um absurdo de cara. Era preciso esperar sábado após às 14 horas para acessar pagando um só pulso de telefone (lembram -se disso?). Aos domingos, o acesso era liberado durante todo o dia pelo mesmo valor. Já na semana, só entre meia-noite às 6h por esse valor. E se caísse a conexão? Teríamos que pagar de novo. Isso sem dizer que a conexão era péssima e, nesses horários em que era mais barato o acesso, ficava sobrecarregada. Não fluía…

Se contarmos isso para os jovens de hoje, eles não acreditarão. Faça o teste!

Talvez você mesma seja a jovem… Seja grata pela evolução da tecnologia!

Mas, qual a razão de lembrar disso?

Ao lermos os livros do antigo testamento, como Levítico, por exemplo, podemos relacionar essa evolução da conexão com a liberdade de acesso a Deus.

Antes, era necessária toda uma preparação para haver a conexão com Deus. Tal conexão era para poucos: os líderes e autoridades espirituais, ou seja, os que possuíam certo “status” (socialmente falando), faziam a mediação entre Deus e o povo.

Porém, o véu de rasgou! (Mateus 27:51)

Hoje, muitas vezes, nem valorizamos a facilidade da conexão da internet.

Será que não fazemos isso também na nossa vida espiritual?

Deus nos chama para vivermos a melhor conexão com Ele em 2020 e pelo resto de nossas vidas.

Deus não quer que nos contentamos somente com conexões rápidas e vazias. Deus quer que tenhamos a melhor “internet”, melhor do que a tal 5G prometida por algumas operadoras.

Porém, para isso, precisamos investir em conexão precisamos pagar o preço para termos o melhor!

Que não vivamos de status, de aparência e de relacionamentos rasos.

Deus te abençoe.

 

Por: Thaís Rodrigues Silva de Souza, 24 anos, casada com Vinicius Moreira de Souza e mãe da Ágatha. Congrega na IAP em Guaianazes.