Empodere-se da companhia do Pai

Lucas 15.11-31

Muito tem-se usado a expressão: “empodere-se!”, com relação a movimentos feministas. E segundo os sociólogos, essa palavra tem um sentido de: “ato ou efeito de promover conscientização e tomada de poder de influência de uma pessoa ou grupo social, geralmente para realizar mudanças de ordem social, política, econômica e cultural no contexto que lhe afeta”. Contudo nossa proposta não é esmiuçar o conceito de “empoderar”, mas refletir sobre como podemos desfrutar dos benefícios de apropriar-se da companhia do Pai.

Ter um pai presente é maravilhoso. Tenho aprendido muito com a relação do meu esposo e nosso filho. Vejo como o meu filho se sente seguro ao lado do pai, como se joga em seus braços sem medo de cair, como fica satisfeito em mostrar-lhe suas conquistas, e como o pai fica orgulhoso ao ver cada coisa nova que nosso pequeno aprende: andar, descer do braço do sofá, acender uma lâmpada etc. Vejo-o vibrar com essas conquistas.

Na Bíblia, ao analisarmos a parábola do filho pródigo, temos um pouco da ideia de como é a relação entre Deus Pai e seus filhos. Ao ler o texto de Lucas 15: 11-31 e meditar sobre ele, gostaria de destacar alguns pontos pertinentes para ilustrar essa relação e sobre os benefícios da companhia do Pai.

Um dos benefícios é a atenção. Mesmo depois de o filho mais novo ter pego sua parte da herança e ter se distanciado do pai, este não o esqueceu. Tanto que, quando o filho decidiu voltar para casa, o pai o enxergou de longe. Da mesma forma, na companhia do Pai você recebe atenção, não é ignorado ou esquecido, seus problemas ou dificuldades não são menosprezados, o Pai te vê.

Além da atenção, você também desfruta da compaixão. Na parábola, o pai correu cheio de compaixão, abraçou e beijou o seu filho (Lc 15:20b). Na companhia do Pai você tem suas dores compreendidas por alguém que sente no íntimo o seu sofrimento.

Não apenas atenção e compaixão, você ainda recebe o benefício de ter os seus pecados perdoados (Lc 15:20-22). Somos acolhidos apesar de nossas imperfeições e falhas. Deus nos acolhe, limpa as nossas feridas, enxuga nossas lágrimas e nos traz alegria com seu perdão. Ele nos acolhe como filhos.

Então, convido você a apropriar-se dessa companhia e desfrutar de todos os seus benefícios.

Por: Francinete Siqueira Rodrigues, Professora de Matemática, Esposa de Denis F. Rodrigues Pastor na Convenção Paulista e Mãe do Arthur

Fontes:

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/10/06/A-origem-do-conceito-de-empoderamento-a-palavra-da-vez.