EM BUSCA DA FELICIDADE

Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la (Jo 4:15).

Quando lemos a história da mulher samaritana (Jo 4:6-26), a primeira impressão que temos é de uma mulher, que, para os padrões da época, não primava pela decência ou moral. Mas, observando melhor, vemos uma mulher em busca da felicidade, só que de forma errada. Ela buscou através de vários relacionamentos, a sua realização pessoal. Mas, diante de todas as tentativas frustradas, ela se consumia na tristeza e nas decepções, que a sua vida lhe oferecia (vv.16-18). Talvez não querendo encontrar ninguém, ela ia a fonte buscar água na hora mais quente do dia (v.6).

Em um desses dias, para sua surpresa, encontrava-se ali na fonte um judeu, que lhe pediu água (v.9). Foi neste momento maravilhoso, que ela ouviu as palavras que iriam conceder-lhe a tão procurada e sonhada felicidade: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva (v.10). Ela não vacilou: Senhor dá-me dessa água (v.15). Após esse momento, Jesus lhe ofereceu a oportunidade para confissão, perdão e ensino sobre a verdadeira adoração (v.24). O diálogo se encerra com a revelação magnífica do Messias tão esperado, na pessoa de Jesus Cristo (vv.25-26).

A mulher se rendeu ao senhorio de Cristo, passou a viver a felicidade tão esperada, e, de forma altruísta, compartilhou com outros este momento tão especial de sua vida, mostrando o único caminho que pode transformar a vida de alguém (vv.39-42).

Não percamos tempo buscando alegria nas futilidades do mundo. Tenhamos o nosso encontro diário com Cristo, através da oração e meditação na sua palavra, e o resultado será a garantia de uma vida feliz e segura enquanto vivermos aqui, e, no futuro, a felicidade da vida eterna.

Nilda Quental Pereira