Dor Emocional – Desespero Profundo

“E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” – Rm 15:13

Falta de realização em geral e, mais especificamente, sonhos não realizados (Pv 13.12) provocam dor emocional. Mesmo quando uma pessoa é amada, certas áreas sensíveis de sua vida causam dor quando são tocadas, como vemos no exemplo de Ana (I Sm 1.5-6).

A dor emocional pode se manifestar pelo choro, pelas alterações de apetite (I Sm 1.7) e pela mudança no semblante (I Sm 1.18) Tal sofrimento é descrito por expressões como “coração triste” (I Sm 1.8), “amargura de alma” (I Sm 1.10) e “aflição” (I Sm 1.16).

Muitas vezes, a dor emocional é interpretada incorretamente por outras pessoas (I Sm 1.13-14). A tristeza de Jó se tornou mais difícil de suportar porque seus amigos não o compreenderam. Essa aflição deve ser derramada “perante o Senhor” (I Sm 1.15), pois Cristo “tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si” (Is 53.4) e ele entende. A dor só pode ser compartilhada com alguém disposto a ouvir e apoiar (I Sm 1.16-17), uma pessoa de confiança que seja “fiel de espírito” (Pv 11.13). Os filhos de Deus devem levar “as cargas uns dos outros” (Gl 6.2). Esse apoio traz esperança e alivia a tristeza (I Sm 1.18).

Os aflitos podem transformar as palavras de Romanos 15:13 em sua oração.

A Bíblia da Mulher Almeida Revista e Atualizada – pg 825