Divórcio não é a única solução

Conforme os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 1 em cada 3 casamentos terminam em divórcio no Brasil. Um balanço feito com dados do instituto, entre 1984 e 2016, demonstra também que o número de dissoluções aumentou consideravelmente com o passar dos anos.

Um exemplo que serve bem para ilustrar esta pesquisa é que em 1984 as separações representavam mais ou menos 10 % do número de casamentos, com 93.000 divórcios. Já em 2016, esta quantidade pulou para 344.000 separações, equivalendo dessa forma a 31,4 % do número de casamentos realizados no país. Com certeza, tais pessoas se divorciaram por achar que esta era a melhor (e mais fácil, em alguns casos) solução.

Mas, quando um casal enfrenta crises, problemas ou divergências de pensamento será que o divórcio é a única solução? O que a Bíblia Sagrada nos ensina a respeito disso?

Em primeiro lugar, é muito importante entendermos que Deus é o Criador do casamento: foi ele que criou o primeiro homem e a primeira mulher para que juntos formassem a primeira família. Ao longo das suas páginas, a Palavra de Deus sempre reforça a importância da família e do casamento, mostrando assim que o relacionamento entre o marido e a esposa deve ser valorizado, cultivado e apreciado pelos dois cônjuges.

Além disso, tanto o marido quanto a esposa devem investir e trabalhar para que o casamento dê certo, já que é responsabilidade dos dois permanecerem casados. Ao mencionar que o “que Deus uniu não o separe o homem” (Mt 19:6) o Senhor Jesus estava ensinando sobre a importância do casamento, o quanto este relacionamento pode ser prazeroso e benéfico para a vida dos cônjuges e que por isso, deve ser valorizado sempre.

Problemas, crises, diferenças de pensamento e circunstâncias adversas todos os casais enfrentam. Cada pessoa tem um temperamento diferente, foi criado de forma diferente, seus “defeitos e qualidades” também não são os mesmos do cônjuge. Mas, não é pelo fato de enfrentarmos estas divergências que o divórcio vai ser a solução, muito pelo contrário, a proposta do evangelho para os casais é que nossos casamentos sejam também fortalecidos e restaurados pela graça de Deus.

Numa sociedade em que vivemos relacionamentos “líquidos”, que facilmente são dissolvidos, que não aguentam a “pressão” das circunstâncias e que são marcados pelo individualismo, é fundamental que estejamos firmados na proposta de Deus para o casamento. Que seja um relacionamento pleno e abençoador, marcado por amor, perdão, resiliência, empatia e ainda, paciência e perseverança. O diálogo verdadeiro, que sabe ouvir e também conversar, também consiste numa solução muito importante para o matrimônio.

Certamente, nem sempre é fácil praticarmos tais atitudes em nosso casamento, pois todos nós enfrentamos problemas e dilemas, magoamos e somos magoados, discutimos e pensamos diferentes de nosso marido (ou de nossa esposa). Por isso, é imprescindível também dedicarmos nosso casamento ao Senhor, sempre orando pelo nosso matrimônio e aprendendo através da Bíblia Sagrada qual é a vontade de Deus para o nosso casamento. Se conseguirmos (e isso diariamente) exercitar tais atitudes ao longo do nosso casamento teremos um relacionamento à prova de qualquer abalo ou destruição, em que o divórcio não será a solução.

Por: Cláudia Duarte casada com o Pr. Fernando Duarte mãe de Luis Fernando e Ana Cláudia, Professora, vice diretora do Ministério Infantil da Regional Noroeste Paulista, congrega na Igreja Adventista da Promessa em Votuporanga