Ciência & Fé – parte I

Uma luta pela verdade

Kant, em seu livro “A crítica da razão pura”, revolucionou a história do pensamento humano, quando disse que não há verdade absoluta. Ele ensina a humanidade a questionar verdades absolutas e esse conceito filosófico entrou inclusive na teologia e na ética. Sobre isso Hernandes Dias Lopes, afirma que hoje, muitas pessoas não creem em verdades absolutas nem defendem uma conduta que preceitua a clara distinção entre certo e errado. E por essas razões, a sociedade contemporânea desceu mais um degrau nesse processo rumo ao relativismo moral. Chegamos ao nível mais baixo da degradação humana. Chamamos luz de trevas e trevas de luz. Chamamos doce de amargo e amargo de doce.

É daqui que surge o chamado “vazio existencial”. A humanidade se enche de perguntas que não consegue responder: de onde vim, para onde vou? Qual a razão de estarmos aqui? Por que o privilégio de sermos o único planeta habitado? O que temos de especial se somos somente poeira do universo (segundo a ciência secular)? O que temos de especial se somos somente efeito de uma evolução natural (segundo a ciência secular)? Tudo isso, Universo, estrelas, planetas, a Terra, a vida, a morte, Jesus Cristo, Espírito Santo, é real? Porque tantas perguntas sem respostas?

Ao falamos sobre verdade, especificamente, em que momento da história o que era certo, absoluto, uma verdade incontestável passa a ser relativo, duvidoso? O afastamento inicia-se quando demos ouvidos à primeira mentira. Satanás questiona a Palavra de Deus: “É assim que Deus disse? … mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis” – (Gênesis 3:1-4). Ele questiona a Palavra de Deus. Você já parou para pensar nisso? Tudo começa com o questionamento da Palavra de Deus. E aí caímos na realidade: desde esse momento, o homem vem questionando a Palavra de Deus. Sejam ateus, sejam crentes, dia após dia questionamos a Palavra de Deus.

Paulo alerta a Timóteo que muitos “irão à igreja, sim, porém não acreditarão realmente em nada do que ouvem”- (II Timóteo 3:1-5). Que palavra forte: “irão à igreja, mas não acreditarão realmente em nada do que ouvem”. Isso é relacionamento superficial. Isso é curtição no Reino, isso é afastamento, isso é honra de lábios, mas coração distante. Caímos na armadilha: às vezes o diabo permite que as pessoas vivam livres… com suas dúvidas e certezas. Sua forma de vida, seu estilo, suas convicções são como uma cadeia, mas a cadeia é boa e confortável e não parece haver necessidade de sair, pois a porta sempre está aberta. Pensamos que poderemos sair a qualquer momento, mas um dia, o tempo acaba e a porta da cela bate, e de repente, é tarde demais.

Fique ligado! A Palavra de Deus não muda, não falha, não envelhece, não se altera, não se amolda a nossos desejos. Verdades absolutas existem sim! E poderíamos gastar muitas páginas usando argumentos filosóficos aqui, mas guarde em seu coração mais um ensinamento de Paulo: “permaneça nas coisas que aprendeu” – (I Timóteo 3:1,10,14).

Para finalizar volto ao início. O conceito de relativismo tomou conta de todas as esferas da sociedade, até mesmo do evangelho, mas quero te deixar uma pegadinha para os relativistas. Quando um deles te disser que “verdades absolutas não existem”, pergunte a ele “se ele tem certeza disso”. Qualquer que seja a resposta dada mostra que ele não sabe o que está dizendo. E te digo aqui (com antecedência), a resposta tenderá a ser um “sim” gigante. Essa resposta seria a pior escolha para ele! Entendeu?

Aguardo você na próxima leitura.

 

Por: Airton Dias

Diácono na Igreja Adventista da Promessa em Vila Helena, Sorocaba, SP. Graduado em Física e mestre em Ciências de Materiais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Doutor em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutor em Cronologia e Raios Cósmicos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor doutor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi secretário da Rumap Oeste Paulista (2005 a 20011) e é o atual secretário da Fumap. Casado com Hélida Maia Vasconcelos Dias.

Nenhum comentário

Comentários estão desativados