Chegou a nossa vez!

Corrupção, falsidade, desconfiança, ansiedade, estresse, falta de perspectiva e de esperança…. Há muitos desses ingredientes no mundo em que vivemos.

Nos tempos atuais, assim como nos antigos tempos, uma palavra que fale de liberdade verdadeira, de esperança, de saídas para a angústia, de final feliz, é mais do que bem-vinda, mas não uma palavra decorada, artificial, sem sentido para quem ouve, mas um “modus operandi”, uma maneira de viver a vida que demonstre o que são as Boas Novas de Salvação.

Muitas gerações se passaram desde que o mundo foi criado e em cada uma delas, homens e mulheres movidos pelo Espírito Santo anunciaram a verdade de Deus. Gerações que cumpriram o seu papel, já que milhões de pessoas foram alcançadas com a verdade da cruz.

No Brasil, somos milhões de evangélicos. Que impacto nossa geração está causando na sociedade?

Temos visto uma mensagem deturpada do Evangelho, uma mensagem de barganha com Deus, que promete cura e resolução de problemas em troca de dinheiro, sendo apresentada na mídia e em muitas igrejas que se dizem cristãs. Vemos muitos políticos que se dizem cristãos legislando em causa própria. Muitos discursos radicais e equivocados que prometem a solução para os problemas do Brasil.

Chegou a hora e é agora em que os verdadeiros seguidores do Evangelho de Jesus Cristo precisam se apresentar, se envolver mais, marcar presença como gente que ama gente, que diz a verdade, que luta por justiça, que defende o oprimido, que ampara o caído, que socorre os aflitos de alma. E onde estão essas pessoas carentes de Deus? Elas estão aqui… elas estão ali… estão ao seu lado no trabalho, na escola, na academia, no mercado, na feira, no salão de beleza, na igreja, na família, nas ruas, nas redes sociais…. Muitas estão ansiosas para falar de suas dúvidas, angústias, medos, temores; necessitando ouvir palavras de esperança, palavras de vida; querendo saber como viver uma vida que faz sentido. Em outras palavras: sedentos para ouvir sobre Deus e ver como os seguidores de Jesus Cristo levam a vida.

Como numa corrida de revezamento, o bastão está em nossas mãos, é a hora e a vez de fazer a nossa parte. O que seria de nós se as gerações anteriores não tivessem feito a parte deles?

Pense sobre isso! Peça a direção do Espírito Santo para ter uma mentalidade missional, peça a Ele ajuda para demonstrar às pessoas, com ou sem palavras, o incomparável tesouro que está dentro de você!

Por: Eunice Alves da Cunha, esposa do pastor Eduardo Lucena, mãe da Isabela. congrega na Igreja Adventista da Promessa de Vila Nhocuné