Checklist de um bom sermão

Um sermão é uma exposição fiel e contextualizada das Escrituras. Fiel porque expõe com coerência o significado da passagem bíblica sem adulterá-la e contextualizada porque precisa ser comunicada de um modo em que os ouvintes de determinada cultura, época ou contexto social entendam (veja como Paulo faz isso em Atenas, capítulo 17 de Atos). Quando falhamos em um destes aspectos comprometemos a comunicação da Palavra de Deus. O sermão precisa ser, primeiramente bem preparado e então, num segundo momento corretamente comunicado. Neste sentido, é importante que você entenda melhor os passos que envolvem a preparação e a comunicação de um sermão.

A preparação envolve em primeiro lugar, escolher que tipo de sermão você deseja pregar. É comum falar sobre três tipos de sermão: o temático, o textual e o expositivo. O temático é aquele sermão que nasce de um tema (por exemplo, amor, comunhão, unidade etc..). A partir deste tema você extrai as divisões ou tópicos do sermão (por exemplo, três ou quatro características da unidade cristã, três benefícios da comunhão entre os irmãos etc.). Uma vez definido o tema você procura textos bíblicos que fundamentem esse tema e suas divisões.

O sermão textual por sua vez deriva de um texto bíblico composto de dois ou no máximo três versículos bíblicos de sua preferência. O tema e os tópicos decorrerão deste texto (por exemplo, com base em Romanos 12:1 um sermão poderia expor as características da vontade de Deus).

O tipo de sermão mais recomendável pelos estudiosos é o expositivo. Ele consiste na exposição daquilo que chamamos de uma passagem bíblica completa, um parágrafo inteiro das Escrituras, com mais de três versículos, mas não um texto tão grande que você não dê conta de expor em um tempo razoável. Este paragrafo das Escrituras precisa ter começo, meio e fim, ou seja, uma unidade completa de pensamento.A par tir deste trecho da Bíblia “o tema é revelado, analisado e explicado, através de seu contexto, sua gramática e sua estrutura literária” (Lachler, 1990, p.52). Por exemplo, com base em Apocalipse 5. 1-14 um sermão expositivo poderia ter como tema “Motivos para adorar a Cristo”. Com base neste texto bíblico três tópicos ou divisões poderiam ser expostos mostrando os motivos da adoração: Primeiro, Cristo deve ser adorado por sua soberania (vv. 1, 5, 6 e 8); segundo, por seu sacrifício (vv.5, 6 e 12) e, em terceiro, por suas conquistas (vv.9-10).

Entendeu? Bem, depois que você escolheu o tipo sermão precisará, em segundo lugar, escolher o texto bíblico para pregar. Ore a Deus na busca de orientação neste sentido. Em terceiro lugar, vem a parte da interpretação do texto bíblico escolhido. Você não pode pregar um texto sem antes entende-lo não é mesmo? Assim, neste momento você deverá estudar com afinco a passagem bíblica buscando interpretar o seu significado na época em que ela foi escrita, isto é, o sentido do texto pretendido pelo seu autor.

Duas questões relacionadas ao texto precisam conduzir seu estudo neste momento.

Primeiro, o contexto do texto bíblico. É preciso entender o contexto histórico, cultural, religioso, político, geográfico em que o salmo, a carta ou o livro em que seu texto está inserido foi escrito. Compreender quem é o autor, quem são os leitores, quando foi escrito, em que ocasião histórica e com quais propósitos estão por traz do texto.

Também é preciso entender o contexto literário do seu texto bíblico, ou seja, se ele é uma poesia como um Salmo, uma profecia como Apocalipse, ou uma narrativa histórica como Rute ou Atos dos Apóstolos. Descubra qual gênero literário é o texto bíblico em que você pregará. Um dicionário bíblico ou mesmo um livro de introdução ao Antigo e ao Novo Testamento te ajudarão nesta tarefa.

Outra questão que te auxiliará na parte da intepretação é enfocar no conteúdo do texto bíblico que você irá expor. Comece lendo o texto várias e várias vezes em diversas traduções bíblicas. Faça apontamentos. Escreva suas impressões sobre o texto. Marque os verbos, os substantivos, os adjetivos, as palavras e as ideias que se repetem. Se existe no texto lugares, nomes, objetos ou palavras que você não conseguiu entender ou cujo significado desconhece, pesquise em um dicionário bíblico.

Pergunte enquanto estiver lendo:

  • Sobre o que este texto fala?
  • Do que ele trata?
  • Qual o ensinamento está sendo trazido?
  • Tem algum personagem sendo tomado como exemplo ou como anti-exemplo?
  • Existem mandamentos expressos para os crentes hoje? Quais são?

Saiba que sem este estudo mais preciso da passagem você não poderá ensinar fielmente as Escrituras, daí a importância deste estágio na preparação do sermão. Uma vez que você entendeu o texto, resuma em uma sentença breve, de no máximo três linhas sobre o que este texto está falando ou o que ele está ensinando. Se você conseguiu fazer isso é porque entendeu o texto, ou seja, você interpretou a passagem bíblica.

A seguir, faça as aplicações a partir desta explicação que escreveu. Aplicar significa relacionar o texto bíblico com a prática diária do cristão em sua cultura e realidade social.

Algumas perguntas nos ajudam a aplicar o texto:

  • O que este texto nos ensina hoje?
  • Quais os desafios ele nos traz?
  • Quais as implicações para o nosso cotidiano?
  • Quais pecados devemos abandonar a luz deste texto?
  • Quais práticas precisamos adotar?
  • O que precisa ser mudado em nossas vidas?

Essas perguntas podem ajudar na aplicação, ok?

Agora, o quarto passo da preparação do sermão é escrevê-lo. Toda mensagem bíblica precisa ter começo, meio e fim. Assim, quando for escrever pense nessa estrutura: escolha um tema para sermão a partir do texto. Em seguida, escreva uma introdução, o desenvolvimento e a conclusão do sermão. A introdução conduz e atrai os ouvintes ao texto bíblico, o desenvolvimento explica e aplica o texto através de divisões ou tópicos (lembre-se do exemplo baseado em Apocalipses 5) e a conclusão fecha a exposição, trazendo algum desafio para os nossos dias referente ao texto bíblico.

Vamos recordar o que aprendemos até aqui?

Em suma, os passos da preparação de uma pregação bíblica são:

1) escolher o tipo de sermão e 2) a passagem bíblica que será a base, 3) a correta interpretação do texto escolhido e 4) a escrita da mensagem (com começo, meio e fim). Feito isso, vem a comunicação da sua mensagem bíblica.

Os passos da comunicação poderiam ser: Primeiro, planeje sua exposição. Pense no tempo que vai durar, no público a quem irá pregar, quais ilustrações você utilizará e como usará seu esboço (você lerá integralmente seu sermão ou parcialmente?).

Em segundo, seja breve, mas cativante em sua introdução e conclusão.

Em terceiro, balanceie sua exposição dos tópicos do sermão, explicando e em seguida aplicando o ensinamento do texto bíblico. Uma mensagem precisa dos dois: explicação e aplicação da Bíblia à vida cotidiana.

Em quarto, tome alguns cuidados na hora de expor a mensagem: Cuidado para não esquecer da comunicação visual com os ouvintes, com a leitura correta do texto bíblico, com a gesticulação, com a entonação da voz, com vícios de linguagem, com a velocidade de sua fala e com o uso correto de nossa língua, isto é, tome cuidado com os erros gramaticais. Não tente imitar ninguém. Seja você mesma. Deixe Deus usar sua vida na transmissão de sua Palavra. Lembre-se: Deus quer que sua Palavra seja pregada com fidelidade e contextualização. Ao pregá-la, tenha a mesma confiança do autor de Hebreus em seu coração: Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração (Hebreus 4:12).

Por: Kassio Lopes é presbítero na Igreja de Parque Edu Chaves.