Boa noite! O sono que dura uma noite traz alegria pela manhã

 

Estresse, agenda apertada, falha na organização da rotina, alimentação desequilibrada, insônia, sedentarismo, acúmulo de atividades, problemas financeiros e conflitos familiares. Esses podem ser alguns dos grandes vilões que afetam o sono de boa qualidade.

Pesquisas mostram que dormir bem é o segredo para a longevidade. Dormir mal e menos que o recomendado (de seis a oito horas) pode causar muitos males e danos irreversíveis ao organismo.

De acordo com os cientistas, a privação do sono conduz a uma série de déficits na cognição, atenção e nas emoções, incluindo maior irritabilidade, além de afetar a memória, coordenação e concentração. Esses efeitos são comuns naqueles que trabalham durante muitas horas seguidas – comumente conhecidos como workaholics – e que sofrem cronicamente por dormir menos. Estudos também já apontaram que a má qualidade do sono está relacionada ao desenvolvimento de algumas doenças crônicas e outros distúrbios, como diabetes, depressão, obesidade e doenças cardiovasculares.

A vida da mulher moderna é cercada de grandes desafios, entre eles, encontrar o ponto de equilíbrio entre as multitarefas e o tempo investido na qualidade de vida. Para garantir sua saúde, uma boa noite de sono deve encontrar lugar no topo da extensa lista de prioridades. Avalie e reorganize sua rotina diária.

O Instituto do Sono faz uma advertência sobre a falta do sono: “A insônia se caracteriza por dificuldade em iniciar o sono, ou por acordar durante a noite com dificuldade para voltar a dormir, com consequências no dia seguinte. Muitas vezes, ocorre a sensação de sono não reparador, de má qualidade, com cansaço diurno. Outras consequências da insônia em longo prazo são irritação, dificuldade para se concentrar ou de memória, sintomas de depressão, entre outras”.

Além dessa lista, outras doenças físicas também podem provocar insônia, como distúrbios hormonais, hiper e hipotireoidismo, algumas doenças psiquiátricas e neurológicas, como ansiedade, depressão, doença de Parkinson, doenças cerebrais isquêmicas e doença de Alzheimer.

Especialistas alertam que pessoas com histórico de problemas cardíacos e com apneia do sono devem redobrar a atenção. Tais pessoas precisam de tratamento e acompanhamento médico, porque correm risco de vida. A obstrução das vias respiratórias faz com que o organismo precise de uma força maior para que o ar chegue até o pulmão e possa ser distribuído para o organismo, o que força o coração a bombear o sangue com mais força ou rapidez.

No distúrbio do sonambulismo, uma informação importante é a de que a predisposição familiar é muito marcante, alcançando cerca de 80% dos casos.

Não bastasse tudo isso, a preocupação do momento é com um novo tipo de sonambulismo desenvolvido por aqueles que estão plugados na internet e tecnologia de última geração, denominados pelos estudiosos de sonâmbulos digitais. São episódios em que o indivíduo levanta-se da cama durante o período de sono e perambula pelo quarto ou realiza atividades sem que se lembre de nada ao acordar.

Recentemente, o programa Fantástico, da TV Globo, levou o assunto do sleeptexting1 ao ar, mostrando que é possível enviar um e-mail ou mensagem de texto e até fazer compras pelo celular, dormindo! Ao acordar, vem a pior notícia: a pessoa não se lembra de nada.

Se você tem o hábito de dormir com o celular ao lado da cama ou do travesseiro e não dorme antes de dar uma olhada nas últimas mensagens, ou acorda sempre que a luz do aparelho acende ou recebe um sinal de vibra, você corre o risco de entrar para a lista dos candidatos ao sleeptexting. O nome pode até parecer simpático, mas os efeitos podem fazer da sua vida – num literal fechar e abrir de olhos – uma história de terror.

O assunto tornou-se alvo de estudos, depois do aumento dos relatos, na sua maioria do público jovem, o mais adepto à comunicação via SMS, Twitter, WhatsApp, Facebook, Messenger e outros. Esse cenário motivou a professora Elizabeth Dowdell, da Universidade de Villanova, nos Estados Unidos, a investigar o sleeptexting. Durante sua pesquisa, ouviu vários depoimentos semelhantes ao de um jovem que tinha o hábito de enviar e responder mensagens durante o sono, mas não se lembrava de nada ao despertar. O estudante só percebia o que tinha feito quando consultava o histórico de mensagens enviadas de seu aparelho.

Dowdell pesquisou 300 estudantes e ficou pasmada ao descobrir que aproximadamente 35% deles haviam enviado mensagens pelo celular enquanto dormiam e que 50% admitiram que a atividade do aparelho interfere no sono de alguma maneira.

Uma análise liderada por um pesquisador da Bellarmine University, nos Estados Unidos, revelou que pessoas que praticam pelo menos 150 minutos de exercícios alcançaram uma melhora de 65% da qualidade de sono e um aumento significativo na produtividade. A pesquisa contou com mais de 2.600 homens e mulheres com idades entre 18 e 85 anos.

Algumas dicas podem melhorar a qualidade do seu sono:

1 –  Antes de ir para o quarto, é fundamental aplacar as ansiedades do dia a dia. Não vá para a cama assim que chegar do trabalho. Reserve um tempo para a oração; essa é uma ótima dica para acalmar a alma e trazer satisfação.

  1. Desligue a TV, o computador e o celular. A luz desses aparelhos atrasa a produção das substâncias responsáveis pelo aviso de que é hora de dormir.
  2. Faça exercícios até quatro horas antes de dormir ou o corpo ainda estará agitado. Fica a dica para os casados: momentos de carinho e intimidade também proporcionam grande relaxamento.
  3. Tome um chá quentinho, com ervas calmantes, como melissa e camomila, que induzem ao sono e ainda melhoram a sua qualidade. Ou tome um copo de leite morno, pois a velha e boa “receita da vovó” possui o triptofano2, que é um precursor da serotonina3.
  4. Coma pouco à noite. Refeições leves são as mais indicadas. As sopas são uma boa escolha, principalmente nas noites mais frias.
  5. Evite aquele bife suculento, porque a proteína que compõe esse alimento ativa o sistema nervoso, responsável, entre outras funções, por deixar seu corpo em estado de alerta.
  6. Depois do banho morno, aromatize seu quarto pingando algumas gotinhas de óleo de lavanda no travesseiro, isso deixará seu corpo ainda mais relaxado.
  7. Procure dormir de seis a oito horas.
  8. Para dar um up na taxa de serotonina, consuma: chocolate preto, suco de uva, banana, abacaxi, tomate, carnes magras, leite e derivados, cereais integrais, castanha do Pará.

Medite no conselho bíblico e o pratique: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus” (Fp 4.6-7).

Dsa. Maristela Montanheiro de Paula na edição 63 da revista O Clarim