Bem Feito!

Temos vivido dias de muita correria. São tantas coisas a serem feitas, tantos assuntos a serem resolvidos, tantos lugares para ir, que nem mesmo paramos para pensar em como temos feito tudo, e qual tem sido a nossa posição e motivação no que fazemos.

Mas é preciso refletir e analisar como tem saído de nossas mãos aquilo que nos é confiado. Independentemente do que façamos, o que realmente importa é como fazemos.

Existe uma frase que o ex-piloto Ayrton Senna sempre dizia: “No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo, ou você faz uma coisa bem feita ou não faz”.

Cada um em sua particularidade, seja no trabalho, no cuidado com a família em nosso lar, nos estudos, ou no serviço cristão, devemos sempre dar o nosso melhor. Todo trabalho tem o seu valor e a sua importância. Mesmo que você não tenha sido contratada, paga ou solicitada para determinada tarefa, a partir de quando você sabe que aquilo é sua obrigação, seu dever ou que mesmo não sendo, você pode fazer, faça, e faça bem feito.

Tito 2:7 nos diz:” Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras… mostre integridade e seriedade”. É necessário que entendamos isso. Como filhas e servas de Deus, precisamos estar dispostas a oferecer sempre o nosso melhor, mesmo que às vezes nos sintamos despreparadas, desmotivadas e incapazes, porque por nós mesmas, em nossa sabedoria humana não somos nada, não vamos à lugar algum, mas quando nos colocamos nas mãos do Senhor e nos propomos a fazer aquilo que é preciso, e buscamos DEle a capacitação e nos empenhamos em dar o nosso melhor, somos abençoadas, e o resultado compensa, porque as melhores coisas não são feitas de qualquer jeito, mas sim, com presteza, dedicação, boa vontade e amor.

Aí você pensa: “mas eu não tenho tempo, é tudo muito corrido, o que importa é que seja feito”. Não! Fazer não é o mais importante. Fazer bem feito é primordial. Por que o que te faz pensar que terá tempo para refazer caso seja necessário? Ou, apenas fazer, cumprirá o objetivo para o qual era necessário?

Que em cada dia, em cada situação em que nos depararmos com algo a ser feito, possamos nos dedicar sinceramente, tendo a consciência de oferecer o nosso melhor, e na certeza de que estamos fazendo bem feito, e assim, sendo a diferença para o qual Cristo nos chamou.

 Por: Juliana Pessopane, congrega na I Igreja Adventista da Promessa de Jales, casada com Douglas Brito, mãe de Lorenzo e Vinícius.