Aprendendo com Ester

O livro de Ester traz uma das mais belas narrativas da Bíblia. Se analisarmos o contexto e época, não era comum uma mulher (ainda mais com a posição social de Ester) ter destaque em algum momento da história. Ela era órfã, e foi criada por um parente próximo chamado Mordecai, um homem bondoso que prontamente se dispôs a cuidar dela como se fosse dua filha. Mordecai era homem temente a Deus, e não falhou em ensinar todos os preceitos divinos a sua nova filha.

Ester cresceu e notadamente tornou-se uma mulher muito bonita, o que tornou impossível passar desapercebida pelos servos do rei. Ela foi escolhida dentre tantas outras belas mulheres para ser candidata ao posto de nova rainha. Se pararmos para pensar, qualquer mulher daquela época daria tudo para ter vida de rainha, desfrutar de todo o luxo e privilégio, ser paparicada e cuidada o tempo todo. Sim, seria um sonho!

Será que todo esse novo estilo de vida, regado a extenso tratamento de beleza, não provocaria uma mudança na postura em Ester? Qualquer uma daquelas mulheres estavam propensas a deixar que a vaidade e o orgulho gerasse competitividade entre elas. Será que Ester se deixou influenciar? Não, a Bíblia relata que Ester ganhara continuamente favor aos olhos de todos os que a viam. ( Ester 2:9, 15 ) E isso acontecia de forma natural, fazendo com que ela se destacasse perante as outras candidatas.

Ela sabia que a humildade e modéstia eram raras naquela corte, e sabiamente deduziu que o rei não seria conquistado só pela beleza. Ela era obediente a Deus, fiel aos preceitos que aprendera na infância, e apesar de todo o ambiente desfavorável a manutenção de sua fé, ela se manteve firme. A Bíblia relata que o rei amou Ester mais do que todas as mulheres, e ela tinha mais favor e benevolência do que elas. (Ester 2:17)

Ao longo de sua trajetória como rainha, Ester mostrou-se uma mulher de muita fé e coragem. Ela tomou a decisão de lutar pelo seu povo, firmou um propósito de jejum e oração que durou três dias. Ela tomou então coragem e foi ao encontro do Rei, mesmo sabendo que corria risco de vida. Ela teve uma atitude de submissão e de completa dependência a Deus, pois sabia que sem a ajuda Dele, seria impossível.

Deus deu-lhe sabedoria e ela soube escolher o momento adequado para falar com o Rei. Você consegue imaginar a tensão e ansiedade que ela passou no trajeto até a sala do rei? Será que não passou pela cabeça dela falar publicamente com o Rei? Só quem tem um relacionalmente íntimo com Deus consegue receber o direcionamento Dele e ter a certeza de que obedecê-lo será sempre a melhor decisão.

Faça como Ester: independente das circunstâncias nunca abandone ou negocie sua fé, seja obediente e peça a Deus um coração disposto a sempre ouvir sua voz!

Por: Hélida Maia Vasconcelos Dias – Graduação em Administração de Empresas e MBA em Marketing e Negócios – Congrego na IAP Vila Helena em Sorocaba-SP

Nenhum comentário

Comentários estão desativados