A vida debaixo do sol

Mostrar que a fé cristã acolhe as dúvidas das pessoas e aponta-lhes a esperança de quem crê em Deus.

Texto bíblico: Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento (Ec 1.14) 

Entre nuvens

As Escrituras mostram o sol de diversas formas, tanto o físico, como de maneira figurativa. Em Eclesiastes, Salomão fala da vida debaixo do sol, essa expressão na Tradução da Bíblia Almeida Revista e Atualizada (RA), aparece pelos menos uma vez nos seguintes capítulos: Ec 1.14; 2.22; 3.16; 4.15; 5.18; 6.12; 8.17; 9.13. E são várias as inquietações de Salomão que, sem dúvida, são inquietações de cada um de nós.

Eclesiastes é uma leitura da vida. Daquilo que acontece debaixo do sol. O sol testemunha vida e morte; fé e incredulidade; dúvida e certeza; trabalho e desfrute; riqueza e pobreza; prazer e tristeza; obediência e desvio; justiça e impiedade. Todos estes sentimentos, situações, acontecimentos, e o que mais você vive, tem como testemunha o sol. Tudo é vivido aqui na terra, nesta passageira vida.

O livro de Eclesiastes é um bom roteiro para quem deseja viver com sabedoria debaixo do sol. ‘Eclesiastes’ vem do grego e significa ‘Pregador’. (…) é um sermão, destinado a mostrar que a natureza dos prazeres do mundo e a realização deles, não dão satisfação, a não ser que Deus governe (…) a vida.”[1] Ao ler esse livro somos chamados a fazer uma leitura profunda da existência.

Luz na vida

O texto principal mostra a visão decepcionada de quem vê o cotidiano com enfadonho olhar: Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento (Ec 1.14). Na reflexão de Salomão, a vida debaixo do sol parecia sem sentido e cansativa. Uma repetição frenética da mesma coisa. É uma inutilidade viver só com o olhar aqui neste mundo. Talvez seja essa a sua visão da vida. Doenças, morte, desejos errados, família dilacerada, suicídio. Um bom emprego, uma boa formação, mas nada como, no fundo, desejava.

É aqui que a fé entra. O Salomão com tédio no capítulo primeiro, e com tantas questões no livro, fala o consolador sentido divino: Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu (Ec 3.1). Se arrisque, no meio de seu senso de que a vida não tem sentido, a não pular da ponte antes de olhar para o céu e, em seguida, voltar a olhar sua vida com as lentes divinas. Seus problemas não sumirão repentinamente, mas sua existência ganhará outras cores debaixo do sol. Você fará tudo diferente, pois sabe que até que Jesus venha a conclusão é esta: tema a Deus e guarde os seus mandamentos, porque isto é o dever de cada pessoa (Ec 12:13 NTLH).

Conclusão: Ore para que sua vida “debaixo do sol” seja preenchida com muita de fé em Deus e obediência à sua vontade.

Leituras para lembrar: Ec. 1, 3, 12. Se aventure no livro todo se desejar.

Por: Andrei Sampaio

[1] Meyer, F. B. Comentário Bíblico. Tradução: Amantino Adorno Vassão. Belo Horizonte: Editora Betânia, 2002, 346.