A Lei da Semeadura

Semear significa: “Lançar as sementes na terra para fazer germinar, deitar, derramar aqui e ali”, etc. A lei da semeadura nos faz pensar em um conjunto de regras que devem ser respeitadas para que a colheita seja justa em relação ao plantio. Não pode um agricultor se preparar para a colheita, sem antes lançar as sementes na terra, observar a estação adequada para o plantio, colocar o adubo e regar frequentemente. Para semear, é preciso realizar o “passo-a-passo’’, sem pressa, sem ansiedade, e sem a intenção de colher antes do tempo.

A Bíblia nos dá alguns exemplos de leis que devem ser respeitadas para que alguns objetivos sejam alcançados: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.” (Apocalipse 2:10). Se plantarmos fidelidade, colheremos a vida eterna; 2 Crônicas diz: “ E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos altos céus, e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”. Logo, se plantarmos oração, quebrantamento de coração, consagração e obediência, colheremos o amor de Deus, e seu perdão.

Por vezes, tentamos pregar o evangelho superficialmente, com a intenção de agradar a quem ouve, deixando de dizer que Cristo é o único “caminho, a verdade e a vida’’. Queremos excluir algumas informaçõesque são essenciais para a conversão do nosso ouvinte. Executamos somente as etapas que a nossa arrogância julga necessárias para a evangelização de alguém. Nos sentimos aptos a omitir verdades bíblicas, durante o plantio da semente, com o desejo de colher, o mais rápido possível, vidas salvas. O fruto não pode germinar, se o agricultor se recusar a umedecer a terra, por exemplo.

O imediatismo se apodera de muitas outras áreas de nossas vidas, nos trazendo angústia e insatisfação. Por vezes queremos plantar abacates (que demoram em média dois anos para dar frutos) – e colher morangos, (que demoram de sessenta a oitenta dias para frutificar).

Neste sentido, o Apóstolo Paulo diz: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba, pois o que o homem semear, isso também colherá.” (Gálatas 6:7).

Não podemos plantar a discórdia em nossos lares, e desejar colher a paz; plantar a descrença e esperar colher milagres.

A lei da semeadura pode parecer rígida demais, quando nos sentimos incapazes de oferecer à semente, os cuidados necessários para que ela se transforme em um fruto vistoso.

Que nos momentos de desânimo, nos lembremos de que há uma árvore frutífera, contra a qual não há lei. O fruto do Espírito é ferramenta indispensável para o cultivo de todo sonho, amizade, relacionamento com o esposo e filhos, profissão, etc. “O fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei”. (Gálatas 5: 22-23). Basta semear e aguardar o fruto!

Ir. Caroline Polycarpo

Sofap Pq. Edu Chaves

“Mulheres que semeiam” Salmos 126:6