A cegueira antes da perda da visão: O poder sedutor de uma mulher

Esther Braga

Mulheres de Deus não “fabricam” Sansões nem se deixam levam pela cegueira do amor, do contrário, miram-se nesse grande exemplo para não ficar cega e evitar provocá-la.

Sansão não era uma pessoa comum, nasceu sob a proteção do Senhor como nazireu de Deus. Sua característica marcante?! A força descomunal. Analisando a vida desse “gigante”, percebemos que até o mais forte dos homens se torna frágil diante da sedução de uma mulher.

Amelinha interpreta uma música que é um passeio pela História da Humanidade: grandes homens, líderes, conquistadores, heróis de guerra… foram “derrubados” por uma mulher. Homens poderosos que seduzidos, renderam-se ao “sexo frágil” e caíram.

Sansão cresceu com uma educação primorosa vinda dos céus, intermediada pelos pais orientados pelo mesmo anjo que o anunciou, mas quando se tornou “dono do seu nariz”, o “forte” Sansão achou que poderia “se virar sozinho”, seguia seus sentidos, mais precisamente a visão; mas os seus olhos o traíram. Casou-se com uma “estranha”, contrariando o Senhor e os seus pais, porque ela lhe “agradava os olhos”. A amada esposa filisteia não esperou muito pra mostrar quem eram os inimigos de Deus (belo presente de matrimônio recebeu!).

Mas isso passou…

Pouco depois, lá estava Sansão enamorado de outra mulher, formosíssima à sua vista… Levado por sua beleza exterior, apaixonou-se perdidamente. O homem de força tamanha, que derrotara mil valentes com uma queixada de burro, rendia-se a uma única mulher; àquela por quem ficou “cego” de amor. Embora ficar abobalhado e cego nas relações seja comum, é preciso ter cuidado porque todos enxergam menos o tal apaixonado… Com Sansão foi assim: todos estavam vendo, menos ele! Seu amor por Dalila se tornou mais importante e muito mais “forte” (a seus olhos) do que a força divina de um nazireu de Deus.

É… aquele homenzarrão tinha uma fraqueza: uma “queda” pelas mulheres! E essa fraqueza foi sua ruína. Enganado pela esposa, seduzido por uma prostituta, derrotado por Dalila (apenas os casos citados na Bíblia); e na luta contra esta em particular, Sansão “pegou um quedão”! Foi enganado duas vezes, e tudo isso não foi suficiente para entender que se confessasse seu segredo, ela seria capaz de enganá-lo uma terceira vez (e foi o que aconteceu!).

Quando estamos cegos de amor, o óbvio se torna pouco provável

Cada vez que Dalila o enganava, ele ria feito um parvo! Brincadeirinhas de amor, comuns entre casais. Ela lhe pedia incessantemente “provas de amor” e em uma relação verdadeira, demonstra-se amor sem exigências, sem exageros e sem loucuras; essas coisas não fazem parte do amor que é benigno e paciente ; o amor é sentido e compartilhado…

Você já deu esse tipo de prova de amor a alguém? Quantas vezes provou seu amor por exigência do outro? Tiraram algo precioso de você, não foi? “Mas você não enxergava, mesmo”… É claro que não, estava cego!!!

“Levanta, meu amor, os filisteus vem contra ti!”; era mais uma brincadeirinha a dois. Sansão estava seguro demais: “Eu sou forte o suficiente pra enfrentá-los; que venham os filisteus!” e aí “caiu como patinho” naquela armadilha que só ele acreditava ser mais um gracejo de amantes e quando ficou cego fisicamente, enxergou espiritualmente. Ele perdeu literalmente a visão , mas foi assim que se recuperou da cegueira sentimental e “abriu os olhos”.

Como Sansão “você se achava” também, não era? Achava-se forte o suficiente pra enfrentar tudo e todos por amor à sua “cara-metade”; por ela você faria qualquer coisa… Isso nunca foi amor, as características desse sentimento são bem diferentes; Sansão teve os olhos arrancados, e o que arrancaram de você?!
É melhor ter os olhos arrancados a continuar com eles pecando , não é?

Sansão era nazireu de Deus, um escolhido do Todo Poderoso; você também! O Senhor não abandona aquele a quem escolhe; nós, do contrário, o fazemos com facilidade, por “amor” a pessoas, a coisas… Então, todo cuidado é pouco ao se deparar com o coração pulsando mais forte por alguém.

Caso aconteça de você se tornar uma “Dalila” na vida de algum cego por aí, ore a Deus por você e para que ele consiga ser um Sansão reerguido (pós-estágio na escuridão); caso esteja sendo um “Sansão”, ore também e entenda que nem tudo foi derrota na vida desse amante: por amor ao Pai, retomou a visão de sua imagem de homem de Deus, ressuscitou para a vida eterna, morreu para o mundo e entregou a Ele seu maior bem, algo mais precioso que a visão – sua vida! Para Dalila, Sansão entregou sua força; a Deus, entregou a vida! .
Morramos, portanto, cegos para o mundo, mas com visão para o nosso Deus!!!