Vacinar é preciso: um ato individual para um resultado coletivo

O Programa Nacional de Imunização (PNI) brasileiro1, criado em setembro de 1973, é uma referência internacional de política pública de saúde e tem alcançado a erradicação de importantes doenças, como a varíola e a poliomielite, que deixaram de ser problema de saúde pública e vitimizar milhares de pessoas no País.

Um relatório divulgado nesta semana pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas pela Infância (UNICEF)2 apontou recordes de crianças vacinadas em todo mundo. Mas o Brasil caminha na contramão das estatísticas mundiais e este cenário vem se agravando progressivamente, colocando em risco a saúde de toda a população.

O Ministério da Saúde sinaliza importantes quedas na cobertura vacinal, especialmente entre as crianças vacinadas nos últimos três anos. Um exemplo é a cobertura da poliomielite (também conhecida como paralisia infantil), doença erradicada no Brasil desde 1990, que apresentou queda de 95% em 2015 para 78,5% no ano de 20173. Os dados alarmantes preocupam as autoridades, especialmente pela ameaça de retorno das doenças erradicadas, surgimento de novas epidemias e pelas consequências advindas destas.

Neste sentido, chamamos a atenção de todas as leitoras desta página quanto à necessidade de proteger você e sua família das doenças transmissíveis em que há vacinação disponível. É um gesto simples, mas carregado de amor a si e ao próximo, pois a vacinação protege os indivíduos e toda a sociedade.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente todas as vacinas recomendadas pela OMS nas unidades de saúde ou com as equipes de vacinação.  Você encontra o Calendário Nacional de Vacinação atualizado para os diferentes grupos etários neste link: http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/vacinacao/calendario-nacional-de-vacinacao

Às mamães e papais, um recado especial: de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente4, é responsabilidade dos pais a vacinação das crianças, no sentido de protegê-las de enfermidades que afetam a população infantil. Portanto, mantenha atualizada a caderneta de vacinação de seus filhos!

Há diversos aplicativos disponíveis para sistema iOS e Android que poderão lhe auxiliar no monitoramento da situação vacinal. Você também pode procurar ajuda em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa. Vale ressaltar que os Estados podem dispor de normas e calendários específicos para vacinação, considerando as peculiaridades locorregionais.

As doenças que podem ser prevenidas por meio de vacinas poderão retornar caso os programas de imunização sejam interrompidos e algumas falácias sobre a vacinação precisam ser desconstruídas. A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) esclarece alguns mitos e verdades neste artigo elucidativo: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5361:mitos-e-fatos-sobre-vacinacao&Itemid=875 Outro ponto que merece destaque refere-se à confiabilidade dos imunológicos produzidos no Brasil, que exporta vacinas para outras agências das Nações Unidas5.

Ah, e fiquem ligadas: a próxima Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo acontecerá entre os dias 06 a 24 de agosto, sendo a população alvo desta ação composta de crianças de um até quatro anos 11 meses e 29 dias. Para informações complementares sobre esta e outras campanhas, acompanhe a página do Ministério da Saúde – Vacinação no Facebook: https://www.facebook.com/VacinacaoMS/

Referências

  1. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Imunização (Vacinação). Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/vacinacao [acesso em 18 jul 2018].
  2. World Health Organization. Immunization, Vaccines and Biologicals: data, statistics and graphics. Disponível em: http://www.who.int/immunization/monitoring_surveillance/data/en/ [acesso em 18 jul 2018].
  3. Ministério da Saúde. Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização – SI-PNI. Disponível em: http://pni.datasus.gov.br/index.asp [acesso em 18 jul 2018].
  4. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm [acesso em 18 jul 2018].
  5. Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Tecnologia de Imunobiológicos Bio-Manguinhos. Vacinas: fornecimento. Disponível em: http://www.bio.fiocruz.br/index.php/fornecimento-de-vacinas [acesso em 18 jul 2018].

Por: Vivian Aline Mininel, Enfermeira, Professora Universitária, esposa de Paulo Eduardo Nogueira Voltan, membro da Igreja Adventista da Promessa de São Carlos-SP.