O que você precisa saber sobre climatério

O que você precisa saber sobre climatério

 

por Cláudia Falcão Marques do Amaral 

 

Climatério é o momento em que a mulher deixa seu estado fértil e inicia uma fase em que seu organismo não estará mais preparado para gerar uma vida. Este período é esperado pela maior parte das mulheres com muito temor. Muitas dúvidas giram em torno deste tema e em torno da menopausa. Mas afinal de contas, o que é menopausa?

Menopausa é a última menstruação da vida da mulher. O período que antecede a última menstruação e o período de mudanças após a menopausa é chamado de climatério.

No ventre da mãe, milhares de “óvulos” são formados nos ovários do feto feminino, caracterizando uma reserva insubstituível de “óvulos”. Quando a mulher nasce, cresce e chega a puberdade, vários destes “óvulos” são eliminados, mês a mês, a cada menstruação, juntamente com a produção de quantidade considerável de hormônio feminino. Após os 40 anos, essa reserva de “óvulos” começa a ficar reduzida e, aproximadamente, entre 47 e 53 anos inicia-se uma irregularidade menstrual, com falhas na menstruação. São os primeiros sintomas de que a menopausa vem aí, nos próximos 1 ou 2 anos.

Com a falta de óvulos nos ovários, a produção de hormônios femininos também fica insuficiente e é isso que causa toda a sintomatologia tão temida da menopausa. Mas é bom deixar bem claro que nem todas as mulheres sofrerão destes sintomas. A maioria das mulheres passará pela menopausa sentindo alguns calores irrelevantes ou outras queixas menores. Muitas mulheres não sentirão nada.

Para informação e para que todas conheçam os sintomas mais freqüentes, vamos comentá-los, dividindo-os em sinais e sintomas em curto prazo ou agudos, médio prazo e em longo prazo.

 

  • Sintomas em curto prazo: Os sintomas em curto prazo surgem nos primeiros meses da menopausa, podendo durar 2 anos ou mais. Podem ser caracterizados por formigamentos nas mãos, insônia e os famosos calores (ou fogachos). Estes fogachos são sensações de calor sentidas na metade superior do tórax, pescoço e face. São acompanhados de rubor, sudorese e seguidas de calafrios, palpitações e sensação de ansiedade. São rápidas, porém podem causar bastante desconforto nas mulheres. Ocorrem principalmente à noite. Outros sintomas agudos são neuropsíquicos. O estrógeno está relacionado com a autoestima e influencia indiretamente o humor. Déficit de estrógeno, somado a outros fatores, favorece a depressão e a diminuição da libido (desejo sexual).

 

  • Sintomas em médio prazo: Os sintomas em médio prazo surgem 3 a 5 anos após a menopausa e estão relacionados à atrofia do sistema genital e urinário. A principal queixa das pacientes neste período é de secura vaginal, conseqüentemente dor e sangramento nas relações sexuais. Outras queixas também comuns são de prurido (coceira) vaginal e infecções recorrentes de urina.

 

  • Sinais e sintomas em longo prazo: Normalmente, os sintomas em longo prazo surgem após 5 anos da menopausa e  o principal deles é a diminuição da massa óssea, levando a redução de sua resistência, com aumento do risco de fraturas. É a famosa Osteoporose. Não causa dor nas mulheres, porém os ossos ficam tão fraquinhos que uma fratura pode acontecer a qualquer momento, mesmo sem motivo. As fraturas mais comuns são no quadril, coluna vertebral e punho, sendo que mais de 50% das mulheres maiores de 65 anos sofrerão um destes tipos de lesão.

 

É importante repetir que nem todas as mulheres sofrerão destes sintomas. E quanto mais tranqüila você esperar a menopausa chegar, melhor.

A menopausa deve ser encarada como uma fase natural da vida da mulher. Não é uma doença, não é o fim da vida; é só mais uma fase da vida, de grandes mudanças, mas que vai passar.

Por não ser uma doença, não precisa de tratamento, precisa de acompanhamento. Se você apresentar sintomas que comprometem sua qualidade de vida, não houver contra-indicações e seus exames preventivos estiverem em dia, seu ginecologista poderá indicar o uso de um hormônio. Mas lembre-se que reposição hormonal só poderá ser feita com acompanhamento individual para cada mulher (nem sempre o que é bom para uma é bom para todas) e, se realmente for necessário, já que todo medicamento pode melhorar uma coisa e piorar outra. Não faça uso de medicamentos, mesmo os naturais (Isoflavona, por exemplo), sem acompanhamento de um médico. Mesmos os medicamentos naturais têm contra-indicações.

Você pode preparar-se para ter uma menopausa saudável preocupando-se,  desde já, com seu estilo de vida e aí vão algumas dicas:

Alimentação:

Procure controlar a ingestão de alimentos gordurosos (frituras, salgados). Não faça refeições com o saleiro sobre a mesa. Evite o açúcar, doces, refrigerantes e alimentos industrializados.

Coma diariamente, no mínimo 5 porções de hortaliças e frutas, mantendo um cardápio variado. Procure não comer todos os dias o mesmo tipo de frutas, verduras e legumes. Consuma soja e derivados.

Dê preferência para cereais integrais (arroz integral, aveia, cevada, gérmen de trigo, sementes de linhaça). Evite muita carne vermelha; prefira carne branca. Se possível, fique um dia na semana sem comer carne alguma. Aumente o consumo dos alimentos que são fontes de cálcio (leite e iogurte desnatados, queijos magros, verduras escuras).

Tome, ao longo do dia, muita água e chás de folhas verdes.

 

Exercício Físico:

Associados a uma alimentação saudável, os exercícios físicos são essenciais para a diminuição do peso. São ótimos para diminuir o estresse e melhorar a libido. Uma caminhada 30 min, 3 vezes na semana, reduz a pressão arterial, fortalece os ossos e previne a osteoporose e doenças cardiovasculares.

 

Outros:

Mantenha seus exames preventivos (Papanicolaou, Mamografia, Ultra-sonografia, exames de sangue) sempre em dia. Tenha momentos de lazer, em que você faça coisas que lhe dão prazer (ler um livro, conversar com uma amiga). Cuide da sua aparência, sinta-se bonita.

 

E o mais importante, saiba que o teu Deus continua o mesmo, te amando da mesma forma, cuidando de você com o mesmo interesse. Entregue nas mãos dEle cada fase da sua vida. Separe um tempo do seu dia para Ele. Diga-lhe o que está acontecendo, seus medos, seus sonhos, suas alegrias e suas tristezas. Ele te criou, Ele te entende.

E seja muito feliz, “simplesmente” por pertencer a um Deus Magnífico.

 

Cláudia Falcão é Ginecologista e Obstetra e congrega na IAP em Vila Medeiros, São Paulo, SP.

(REVISTA O Clarim, O que você precisa saber sobre climatério. São Paulo, edição n.56, agosto a dezembro, 2008, páginas 50 a 52).