Leia Mais: Quanto mais cedo, melhor

Entra geração e passa geração e o desafio de educar crianças está sempre presente.

A Palavra de Deus lança essa proposta a cada leitura do texto de Provérbios 22:6: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (RA). O texto deixa claro que o ensino que se quer dar a uma pessoa deve ser feito na infância, e esse o acompanhará durante toda a vida.

Outra reflexão que é ressaltada no texto é que as crianças não nascem sabendo. Elas precisam de alguém que as ensine. Alguém que diga o que é certo ou errado. Alguém que lhes ofereça conhecimentos sobre Deus, salvação, família, educação e respeito. Esses preciosos ensinos devem ser compartilhados com amor e dedicação desde a mais tenra idade. Quanto mais cedo a criança for orientada no temor do Senhor, maior será a chance de uma vida feliz e equilibrada.

É importante pensarmos que a criança está aprendendo alguma coisa durante todo o tempo. E aí vem uma pergunta inquietante: e se ninguém estiver ensinando o que é correto? Infelizmente, ainda assim ela estará aprendendo, com aqueles que deveriam ensiná-la, conceitos confusos como: desleixo, preguiça, abandono, desprezo, violência, incredulidade; e a tragédia é que esse será um ensino para uma vida inteira.

A criança está sempre disposta a aprender e a orientação bíblica é clara quando ordena que alguém a ensine. Essa é uma função destinada prioritariamente aos pais e estendida a todos os que, de alguma forma, têm crianças ao seu redor: família, igreja, escola, etc. Somos chamados a essa responsabilidade em cada criança que nasce e que está ao nosso alcance.

O chamado para ensinar na infância é perfeito. A criança está em formação. Tudo é novo para ela. Os alicerces de uma existência podem e devem ser fortes e firmes. Ela está por perto e tem interesse por todas as informações. As portas para seguir o seu caminho ainda não lhes foram abertas. É tempo de alicerçar, armazenar, preparar, vacinar, alimentar e orientar, em todos os sentidos da vida. Chegará o tempo em que ela irá embora, e muito pouco, ou mesmo quase nada será possível fazer. A Bíblia novamente orienta: “Tudo tem o seu tempo determinado” (Ec 3:1).

O projeto para a vida de uma criança não será realizado apenas apontando para ela o caminho em que deve andar. A eficiência do ensino só será estabelecida quando este for feito andando lado a lado no caminho da vida. Esse foi um mandamento dado por Deus ao povo de Israel quando estava sendo formado como nação. A ordem foi clara: que os filhos fossem ensinados diariamente em todas as oportunidades que surgissem (Dt 6:7).

Atentas observadoras

Está mais do que provado que a ferramenta eficaz de aprendizagem é o exemplo. As crianças são alunos constantes daqueles que estão ao seu redor. É assim que elas aprendem a falar, andar, comer, brincar e todas as ações do seu cotidiano. Isso inclui, infelizmente, os exemplos ruins também. Crianças são atentas observadoras, mesmo que, às vezes, pareçam distraídas e distantes. Elas têm ouvidos para todas as palavras e olhos para todas as cenas. Tudo é captado com uma velocidade impressionante e armazenado para uso futuro.

Não podemos fugir ao comando da Palavra de Deus, que exige dos adultos a responsabilidade de ensinar. Por outro lado, constatamos que as crianças estão suplicando por pessoas que assumam esse compromisso, e, sabendo que o exemplo fala mais alto do que uma infinidade de palavras, é importante agir e fazer de cada ação com a criança uma aula bem preparada, com lições inesquecíveis, fazendo das palavras o incentivo e o apoio que serão utilizados como combustível para uma vida inteira.

Para que a criança tenha chance de crescer na graça e no conhecimento do Senhor e ser uma pessoa que traga alegria para a família, para a sociedade e para a igreja, ela precisa ter, por parte das pessoas que cuidam dela, exemplos que possam inspirá-la a ter uma vida de comunhão com Deus, através da oração, do louvor e da leitura da Bíblia. Muitas vezes se exige da criança um comportamento e ela não corresponde por não ter nenhuma referência sobre como agir.

Ensine a criança a orar, orando por ela e com ela; a cantar, cantando e louvando a Deus no dia a dia; a adorar, fazendo da sua vida uma adoração constante a Deus; a respeitar, respeitando as leis de Deus, cumprindo os seus compromissos com a família e a sociedade; a amar, demonstrando afeto, carinho, atenção e cuidado com as pessoas que estão sob a sua responsabilidade; a agradecer, sendo grato através do seu trabalho para Deus, da entrega dos dízimos e ofertas e do comparecimento aos cultos.

O importante é não perdermos o tempo precioso da infância para ensinar. O tempo é curto e passa depressa! Não teremos outra oportunidade para fazer este trabalho. Ele é único e não voltará. Na infância, a criança deve ser levada a Cristo e com ele ser mantida até o fim. Não há melhor lugar para ela estar!

Fonte: Revista O Clarim, edição 61 – Págs. 53-55

Compre a nova edição de O Clarim aqui: http://migre.me/uWfTq

Nenhum comentário

Comentários estão desativados