Eu preciso matar…

O texto que lemos relata os momentos que antecederam a crucificação e morte de Jesus.

Momentos dolorosos de angústia e dor. Nessa hora Jesus não saiu correndo, nem murmurou, nem questionou ou brigou com o Pai, mas ele chamou Pedro, Tiago e João, seus amigos mais íntimos, para orarem e vigiarem com Ele.

E por três vezes Jesus se retirava para orar a sós e os seus amigos dormiam.

Na terceira vez, os soldados já vieram e com o beijo de Judas, Jesus  foi preso.

Imaginem a cena, toda a multidão gritando palavras horríveis contra Jesus, e ele calado, porque sabia em quem Ele cria e confiava na fidelidade e amor de Seu Pai; enquanto isso, Pedro arranca sua espada e num ato de fúria corta a orelha do soldado Malco.

Imediatamente Jesus, pega a orelha do soldado e milagrosamente cola a orelha no lugar e coloca Pedro no lugar dele.

Algo me chama a atenção: a reação que Jesus e Pedro tiveram frente a um momento difícil.

Pedro e os outros discípulos não oravam, ficavam batendo papo, dormindo, não lutaram contra a carne, não vigiaram e Jesus ainda que suando gotas de sangue, ainda que afligido, sentido dores de morte, orava, clamava, suplica auxilio do Pai.

Enfrentamos situações complicadíssimas, muitas vezes não sabemos o que fazer, como agir, temos angústia, ansiedade, somos humanos, sentimos essas coisas mesmo; mas Jesus nos ensina que é nessa hora que devemos nos deleitar em Sua presença, é nessa hora que devemos nos prostrar diante dEle, orar e clamar.

Nossa reação frente as adversidades revela muito da nossa vida de oração.

Na hora do problema: Pedro carnalmente atacou o soldado, e Jesus espiritualmente trouxe vida ao soldado. Pedro perdeu uma grande oportunidade de honrar a Jesus com sua vida.

Jesus honrou a Deus por aproveitar aquela oportunidade e produzir a glória do Senhor na vida daquele soldado. É possível que Malco se converteu a Cristo por ter o nome citado na bíblia, isso mostra que ele foi conhecido da igreja.

Nossas ações podem ser programadas, calculadas, palavras pensadas, mas nossas reações revelam o que de fato está em nosso coração e quem de fato está reinando. Por isso que é fundamental esse precioso tempo de oração, vigilância, jejum e constante busca para matar a carne (afinal ela só serve para nos fazer pecar, rsrsrs).

Esse texto em Lc. 22.43 diz que enquanto Jesus orava, um anjo vinha e o consolava.

Isso é maravilhoso, porque enquanto nós orarmos, não será um anjo que virá, mas Ele mesmo estará consolando, confortando e nos encorajando a viver a vida que Ele tem para nós.

Que Deus nos ajude a matar nossa carne preguiçosa, egoísta, orgulhosa, independente e por ai vai…. para que através de nós, Cristo brilhe a Sua luz e muitos O conheçam e vivam para Ele.