Eles valem mais do que flores

Nesta geração, como educar os filhos no Senhor?

Conversando com algumas irmãs que cuidam de flores, aprendi que alguns tipos de flores são muito difíceis de cultivar. Algumas são muito bonitas, mas exigem vários cuidados para que possam crescer e florescer saudáveis. Um exemplo desse tipo de flor é a orquídea. Se quisermos cultivá-la, temos que prestar atenção à luz e à temperatura do lugar em que essa flor ficará exposta, além de utilizar um vaso cujo tamanho seja o adequado. Esse tipo de flor é facilmente atacada por insetos e também é sensível ao tipo de terra em que a plantamos e aos fertilizantes.

Se compararmos a plantação de uma orquídea à educação dos filhos, podemos refletir que educar os filhos também exige vários cuidados, mas este processo é muito mais complexo e difícil. Que pai ou mãe nunca se perguntou diante de um desafio enfrentado com os filhos: “E agora? O que faço?” Onde vamos encontrar a melhor orientação para essa tarefa tão complicada, mas também tão maravilhosa de educar os filhos? Com certeza, na Bíblia Sagrada!

Na Palavra de Deus podemos encontrar muitos ensinamentos práticos que podem ajudar-nos a ter êxito nessa tarefa tão importante para a família, que é a educação dos filhos.

Dentre esses ensinamentos bíblicos, um merece consideração especial: os pais são o maior e principal exemplo dos seus filhos. A Palavra de Deus nos orienta a ser exemplo para os fieis: Tito 2: 7; 1 Timóteo 4: 12- “(…) mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza”. Será que os meus filhos se incluem na categoria de pessoas que eu tenho que dar o exemplo de vida cristão? Sim! Se nós, como pais, orientarmos nossos filhos numa determinada questão, mas agirmos de forma totalmente contrária ao que estamos falando, nossa palavra não terá valor. Para ensinarmos nossos filhos a falarem a verdade, temos que falar a verdade também. Se quisermos ensiná-los a serem honestos, a honestidade tem que fazer parte das nossas atitudes diárias e cotidianas. Para que os nossos filhos aprendam a respeitar às pessoas, eles devem observar que também respeitamos os outros, independente da circunstância ou da situação. Repetindo aqui: somos o maior exemplo e a principal referência para os nossos filhos!

Outro conselho importante que a Palavra de Deus nos dá a respeito da educação dos filhos é: cultive um relacionamento e uma comunicação com ele. O Salmos 133: 1 enfatiza que: “Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união”. Certamente, essa união deve acontecer também dentro da nossa família! Vivemos num mundo em que, cada vez mais, os relacionamentos e a comunicação têm passado por mudanças. Com o avanço das tecnologias e o aumento da “correria” proporcionada pelo trabalho e pelos compromissos, alguns relacionamentos têm se tornado mais distantes e superficiais, até mesmo dentro de nossas casas. O que fazer para cultivarmos um relacionamento e uma comunicação aberta e edificante com nossos filhos? Investirmos num tempo de qualidade com eles. E isso, deve começar desde a infância, por menores que eles sejam, para que na adolescência, nossos filhos vejam a cada um de nós como pessoas em que podem confiar. Mesmo quando eles falham, podemos demonstrar amor, compreensão e perdão, pois dessa forma, apresentamos também que somos instrumentos de um Deus de graça, amor e misericórdia.

A Bíblia Sagrada também vai nos orientar a: disciplinar os filhos em amor.  Em Provérbios 22: 14 está escrito que quem ama o filho, não se nega a discipliná-lo. Nossos filhos precisam aprender que tudo o que fazemos acarretam em consequências para as nossas vidas; e com eles, esse princípio não é diferente: a atitude deles acarretará em consequências, que podem ser boas ou ruins. A disciplina não pode ser humilhante e nem pode colocar em risco a integridade física dos nossos filhos, mas deve ser dada em amor, considerando que discipliná-los faz parte da orientação divina para os nossos filhos. Na verdade, a disciplina também está relacionada ao conceito de ensinar a andar, de mostrar o caminho e caminhar junto, de conduzir.

Um versículo da Palavra de Deus que me chama a atenção é Eclesiastes 3: 1 e 4: “Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu: (…) tempo de rir, (…) e tempo de dançar.” Nestes versículos lemos sobre a importância de separarmos tempo de qualidade para o lazer com nossos filhos. Essa é mais uma orientação bíblica para nós. Ao separarmos tempo para brincarmos com nossos filhos pequenos ou momentos de lazer junto com nossos filhos adolescentes, nossa família fica mais unida e nossos filhos se sentem mais seguros, amados e valorizados. Desfrutando de um momento de lazer sadio com os filhos, eles estarão menos propensos a recorrer às drogas, à imoralidade e ao vício, já que perceberão o companheirismo e a segurança dentro de seu próprio lar.

Já ouvi vários pais afirmarem que educar filhos é um verdadeiro desafio, não existindo uma fórmula mágica e nem uma receita. Certamente, não é uma tarefa fácil, pois requer dedicação, tempo, perseverança, amor, paciência, disciplina, dentre outras coisas. No entanto, o criador da família, o Senhor nosso Deus, por intermédio de sua Palavra nos garante que se nos propormos a educar os filhos conforme as suas orientações divinas, teremos uma maior possibilidade de vê-los seguindo o projeto de Deus para as suas vidas. Não devemos nos esquecer de que se instruirmos nossos pequeninos, nossos adolescentes e nossos jovens no caminho em que eles devem andar, o Senhor Jesus proporcionará que não se desviem dele. Que o Espírito Santo continue dando sabedoria a capacitação a cada pai e cada mãe que está disposto a educar o filho conforme a vontade de Deus!

Dsa. Claudia Duarte congrega na IAP em Votuporanga (SP) e é diretora do Departamento Infanto Juvenil Regional