As cinco linguagens do amor: palavras de afirmação

A língua um órgão tão pequeno, mas com poder tão grande

“Tomem também como exemplo os navios; embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto. Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas.” Tiago 3:4,5a.

O apóstolo Paulo nos ensina sobre a suprema excelência do amor em 1 Co 13:1-13. Ele nos ensina que qualquer ato humano que não seja motivado por esse sentimento é em si vazio e sem significado. E conclui no versículo 14 que somente três características permanecerão: ”fé, esperança e amor. Porém, a maior delas, é o amor”.

A palavra amor significa: afeição profunda a outrem, a ponto de estabelecer um vínculo afetivo intenso, capaz de doações próprias, até o sacrifício. Também é uma dedicação extrema e carinhosa. Esse amor faz a diferença em todo o tipo de relacionamento, seja ele entre marido e mulher, pais e filhos, no trabalho, entre amigos, na igreja e no próprio relacionamento com seu Deus. Esse amor nos permite ter esperança de dias melhores diante dos relacionamentos mais difíceis.

O escritor do livro as cinco linguagens do amor, Gary Chapman, nos mostra que “uma das formas de expressar esse amor emocional é utilizar as palavras que edificam, palavras bondosas, palavras encorajadoras, palavras humildes e também em dialetos variados”, merecendo destaque que esta última forma pode se concretizar por meio de um bilhete ou uma carta.

O sábio Salomão escreveu em Provérbios 18:21 “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto”. Ele fala sobre dois frutos que colheremos com poder da língua, isto é, dependendo de como vamos usá-la colheremos o fruto da vida ou da morte. Podemos usá-la para produzir frutos bons ou maus (Tg 3:10).

Jesus é o maior exemplo em usar as palavras de afirmação, produzindo resultados transformadores independente da condição pessoal, social, religiosa, cultural e de pecado dessas pessoas. Ele não perdia uma oportunidade para ressaltar os traços de caráter para encorajar, elogiar, incentivar, apoiar e abençoar as pessoas.

São tantos os exemplos, mas permita-me descrever as seguintes palavras de afirmação proferidas por Cristo: “você não está longe do reino de Deus” – Mc 12:34 – quando falava com o escriba sobre amar a Deus e o próximo, “eu lhes digo que nem em Israel encontrei tamanha fé” – Lc 7:9 – ao observar a atitude de um centurião romano, “eu vejo em você, Simão. Eu vejo uma rocha de fé (…) – Jo 1:42 – e chamarei você Pedro – que em grego significa rocha. “Sobre essa pedra edificarei a minha igreja” – Mt 16:18 – mesmo diante de tantos defeitos que Pedro apresentava, “Zaqueu desce depressa. Quero ficar em sua casa hoje” – Lc 19:5 – oferecendo relacionamento e oportunidade a um cobrador de impostos mafioso que enriquecia em prejuízo de seus concidadãos.

Todos nós somos emocionalmente carentes e em algum momento precisamos receber palavras bondosas, apoiadoras, mansas e encorajadoras. Mas não espere pelo cônjuge, pelo filho ou pelo colega de trabalho. Imagine se Jesus tivesse que esperar que o amássemos primeiro? Então comece por você e altere as palavras para alterar os relacionamentos.

Que tal começar agora a usar o seu pequeno leme e direcionar o navio para águas tranquilas, onde reside a paz, harmonia e bênçãos?

Por: Dsa. Dafne Reis, Bacharela em Direito, Empresária, Tesoureira da Resofap Matogrossense.

Nenhum comentário

Comentários estão desativados