Aprendendo com a viúva de Sarepta

I Reis 17: 8-24

Sarepta, que lugar era esse? Uma cidade pagã, que adorava ao deus Baal, ficava na região de Sidom, território da antiga Fenícia e atual Líbano.

A bíblia não revela o nome da “famosa” viúva de Sarepta. Conhecemos essa mulher apenas como “a viúva de Sarepta”. Ela se tornou notável por sua grande fé.

Querida leitora, vamos juntas, com a ajuda de Deus, refletirmos um pouco sobre o importante papel dessa mulher e extrair lições práticas para nós.

  1. Contexto histórico:

Por causa dos pecados e transgressões do rei Acabe, rei de Israel e de sua esposa Jezabel, a Bíblia deixa claro que a partir de uma oração poderosa feita pelo profeta Elias veio uma grande seca e fome sobre a nação. Elias orou e o Senhor Deus fechou os céus para que não chovesse e nem sequer orvalho caísse sobre a terra. E por três anos e seis meses, nenhuma gota sequer de água caiu do céu. Justamente por conta da profecia de Elias contra o rei Acabe, ele precisou fugir da região por causa do furor do rei. Então, após ser sustentado por corvos, Deus manda o profeta para a cidade de Sarepta, dizendo-lhe que lá seria sustentado por uma mulher.

Em Sarepta vivia uma mulher viúva na companhia do seu filho. Por causa da terrível seca que assolava aquela terra, estavam prestes a morrer quando o Senhor falou com ela. A forma detalhada como se apresentou para falar com a pobre viúva não fica claro, mas a Bíblia no livro de I reis, capítulo 17 e versículo 9 diz que Ele falou claramente com Elias: “Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente”.

As notícias sobre as condições financeiras da tal mulher não eram as melhores. A Bíblia afirma que a pobre viúva tinha apenas um punhado de farinha e um pouco de azeite para fazer um bolo que só dava para ela e seu filho comerem e, depois dessa refeição, acreditem, iriam se preparar para a morte. Que coisa terrível! Como administrar uma situação como essa? Como aceitar tal sentença? Como agir e reagir?

Tentando se colocar no lugar da viúva de Sarepta que estava a um passo da morte e refletindo sobre o seu drama, percebo que ao invés do desespero e do surto, ela tomou uma decisão sábia, corajosa, misericordiosa e cheia de compaixão para com o profeta do Senhor.

Chegando a casa da viúva, depois de ouvir da pobre mulher a respeito de suas carências e necessidades, o profeta Elias a instruiu a fazer primeiro um bolo e trazer para ele. E pasme você, ela obedeceu! E o alimentou primeiro, sem questionar e sem duvidar.

Importante esclarecer uma coisa: Elias não agiu egoisticamente ao fazer o pedido, se tratava de um teste de fé e obediência no qual a viúva foi aprovada. Após a resposta da mulher, o profeta Elias abençoou sua casa dizendo com a autoridade dada por Deus, que nem a farinha, nem o azeite acabariam e assim se deu. A Bíblia afirma que tempos depois, essa mesma mulher teve o privilégio de contemplar mais um milagre extraordinário do Senhor na vida de seu filho, realizado através do profeta Elias.

Reflexão: Você já passou por crises? Qual foi sua atitude?

 

  1. Lições práticas:

Ao destacar algumas lições do texto sagrado, convido você a se envolver com a história dessa mulher tão especial para o Senhor, pois com certeza novas mensagens poderão brotar em sua mente e coração:

: “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus”. Hebreus  11.6

A viúva pobre teve fé na palavra do profeta. A mulher exerceu a sua fé. Ela confiou plenamente que o seu sacrifício resultaria em vitória. Afinal, como poderia agir assim se não confiasse? O que ela fez foi deixar de alimentar a si mesma e o seu próprio filho, porque creu que estava diante de um homem de Deus. A fé a conduziu a um novo e estimulante caminho. O texto bíblico informa que Deus a honrou tempos mais tarde, ressuscitando o seu filho num outro momento de grande prova de fé. O exemplo da viúva deve nos incentivar e nos preparar para os momentos que passarmos por testes semelhantes.

Certamente para agradar o coração de Deus você não precisa de um nome famoso, de muitas posses, títulos e de beleza incomparável, mas de um coração encharcado de fé genuína.

Sabedoria: “Andai com sabedoria para com os que são de fora, usando bem cada oportunidade”. Colossenses 4.5.

A mulher sem nome agiu com grande sabedoria. Sabedoria para responder ao profeta. Sabedoria ao atender com prontidão e zelo ao pedido do homem de Deus. A viúva estava sem mantimentos em sua dispensa, mas demonstrou grande sabedoria em se posicionar e tomar atitudes no momento da prova.  Ela demonstrou sabedoria quando controlou suas palavras e se submeteu as palavras de Elias.  De que forma temos reagido diante das situações contrárias da vida? A sabedoria de Deus está a nossa disposição. A sua Palavra nos garante isso em provérbios 1.7: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria.”

Humildade: “Mas o irmão de condição humilde glorie-se na sua exaltação”. Tiago 1. 9.

Esse é mais um ensino de grande importância para as mulheres do nosso tempo. A mulher pobre não escondeu nada do profeta. Ela se humilhou totalmente diante do servo de Deus. Expôs a sua real situação. Deixou claro que não possuía as condições necessárias para continuar a viver. Abriu o seu coração e falou humildemente o que estava acontecendo em sua vida. Reconheceu o seu estado de carência e não omitiu as suas fragilidades. Abriu a boca e falou claramente sobre a sua pobreza material. Você tem coragem de expor suas fragilidades, seus medos, suas necessidades diante das pessoas? Isso nem sempre é fácil, não é mesmo? Normalmente nosso ego fala mais alto e não queremos tomar a decisão de nos humilharmos. Mas essa viúva não hesitou em dizer o que não tinha. Ela simplesmente abriu o seu coração e sem reservas expõe diante do profeta sua realidade de vida.

Obediência: A obediência dessa mulher à palavra do profeta Elias me toca profundamente. Quando penso em sua decisão, é impossível não me emocionar. A vida que ela vivia era de grande pobreza. Suas emoções possivelmente estavam abaladas. Seu filho padecia ao seu lado. Ela não via solução. Ao receber a visita do profeta, posso imaginar sua esperança renascendo. No entanto, pelo que vemos na história, ao invés de receber ajuda ela precisou tomar uma decisão que poderia ser a última de sua vida. Por causa de sua obediência, no entanto, experimentou providências extraordinárias em sua vida, na vida de seu filho e em sua casa! Que não falte em sua vida, a convicção para obedecer a Deus, mesmo que para isso, você tenha que sacrificar algo ou alguma coisa, a palavra do Senhor nos traz a certeza de que vai valer a pena. Acredite, quando o rio secar, a chuva parar, a farinha faltar, Deus tem um novo começo, uma nova direção, um novo amanhã. Não se desespere, mas espere naquele que do tempo é o Senhor e por você fará o milagre acontecer.

Disposição: A viúva de Sarepta não ficou lastimando, murmurando, blasfemando de sua triste situação. Muito menos questionou severamente a ordem do profeta Elias. Percebam que ela dispôs da última porção que tinha em sua dispensa, dispôs do seu pouco tempo para atender a ordem de Elias. Mesmo estando em grande luta e provação, com medo da morte, ela se dispôs a dar um passo em direção ao desconhecido.  Não espere ter tudo o que deseja ou possuir toda a capacidade que busca para se colocar à disposição do serviço cristão. Será que o que temos recebido, experimentado, vivenciado, ouvido, já não é o suficiente para nos colocarmos a disposição do serviço do Mestre? Não espere ter todos os recursos do mundo, todos os diplomas conquistados, o que você tem hoje, deve estar à disposição do Senhor!  Saiba que é isso que importa para Ele. Precisamos estar disponíveis para realizar o nosso ministério, lembrando-nos sempre que é Ele quem opera todas as coisas em nós.

  1. Conclusão:

Que estas lições falem poderosamente na sua mente e toquem intensamente o seu coração, pois “a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e do espírito e de junta e medulas e é apta para discernir os pensamentos e intensões do coração.” Hebreus 4.12

Por: Flávia Fresque Bellia Leonardo, congrega na IAP em Vila Maria, Secretária da Resofap da Convenção Geral