5 dicas para não cair nas dívidas do começo de ano

O Ano Novo chegou e junto com ele as despesas que pesam no orçamento nessa época: pagamento do IPVA, IPTU, matrícula e material escolar, entre outras.

Num cenário de crise econômica, onde muitas famílias viram suas rendas diminuídas ao longo de 2016, é bem provável que você questione: como farei para pagar isso tudo? Infelizmente não existe “fórmula mágica”, cada família apresenta uma situação financeira, e este é o momento de avaliar e planejar cuidadosamente para não começar o ano endividado.

 

1) Utilize reservas financeiras: Se você foi disciplinado durante o ano e conseguiu poupar parte das suas receitas, ou até mesmo guardou seu 13º salário com esta finalidade, aproveite e pague à vista. Além de obter descontos, ficará livre das parcelas mensais.

2) Corte despesas e economize:  caso não seja possível pagamento à vista, é hora de “apertar os cintos, pois estas despesas extras estendem-se até o mês de março. Faça um levantamento de todas as suas despesas fixas (água, luz, supermercado, aluguel) e das despesas variáveis (lazer, restaurantes). Relacione cada uma delas num papel ou planilha e discutam em família o que podem fazer para economizar.

3) Pesquise e peça descontos: no momento da compra do material escolar, em primeiro lugar, converse com seu(s) filho(os) para  evitar excessos na hora da escolha. Por exemplo: cadernos e acessórios de desenhos animados, personagens de franquias famosas, etc, encarecem a conta final.

Pesquise preços em diversos estabelecimentos (papelarias, redes de supermercados), pois a diferença de um para outro pode ser grande, e a economia também.

Uma outra estratégia é reunir outros pais para uma compra coletiva. A negociação e descontos tendem a ser mais fáceis na compra de grandes quantidades, e assim todos serão beneficiados.

4) Dinheiro extra: é bem provável que você tenha alguma roupa, objeto ou até mesmo móveis que não estejam mais sendo utilizados, e que podem ser vendidos em bazares para amigos ou mesmo em um site especializado em vendas de usados ou página do Facebook com fotos.

5) Em último caso, recorra ao crédito pessoal:  depois de esgotadas todas as possibilidades de conseguir equilibrar as contas, e a única solução  seja recorrer aos empréstimos fique atento às dicas: faça e refaça as contas pra não correr o risco de comprometer uma parcela maior do que possa pagar (o ideal é não comprometer mais de 30% da renda líquida); não alongue muito as parcelas; converse com seu gerente sobre a melhor opção e se possível dê preferência às modalidades de consignação em folha (pois as taxas de juros são menores).

O planejamento é imprescindível para sua saúde financeira. Todo início de ano será a mesma coisa: contas extras a pagar. Por isso faça um compromisso de reservar uma quantia por mês para esta finalidade, assim nos próximos anos você ficará tranquilo.

Por: Hélida

Nenhum comentário

Comentários estão desativados