Haja Eva

Adão deu à sua mulher o nome de Eva, pois ela seria mãe de toda a humanidade. (Gênesis 3:20)

Eva em hebraico Hawwãh significa “vida”, “cheia de vida”, e quão cheia de vida ela era! Ela seria o começo, a mãe de toda a humanidade. Adão e Eva foram os únicos seres humanos que nos mostraram realmente o que é viver de acordo com o propósito original de Deus. Eles foram os primeiros homens, o começo da criação. Eles conversavam com Deus, e tinham uma intimidade única com ele. A bíblia diz em Gênesis 2:19 que Adão deu nome a todas as espécies. Eles exerciam seu papel com a natureza, cuidavam dela e a ordenavam. Eles representavam o ideal de Deus para os seres humanos, sem pecado.

Eva era a mulher ideal, partilhava a vida com Adão e era sua companheira em todos os aspectos. Afinal, Deus viu que não era bom que o homem estivesse só (Gn 2:18), ele precisava de uma companheira para o auxiliar e corresponder. Alguém pra lutar as mesmas lutas, fazer parte, caminhar junto.

Nesta relação não existe maior ou menor, eles se completavam. Eva começaria a humanidade, e seria seu primeiro exemplo, tanto para o ensino básico das atividades humanas, como para grandes valores. Esta mulher tinha uma grande responsabilidade, Deus deu a ela, porque sabia que poderia cumprir isto, ele a criou e a capacitou para essa grande missão.

Penso que, ao olhar para o relato de Gênesis, todo mundo já se fez aquela pergunta: “se eu estivesse lá, será que teria feito a mesma escolha? ”. Bem, de certa forma, está lá todos os dias quando as misericórdias do Senhor se renovam pela manhã e você pode fazer uma boa ou má escolha novamente. Mas, apesar disso, por muitas vezes você cede, peca, se rende aos próprios desejos, à sedução da serpente. Eva cedeu. Ela comeu o fruto. Sim, nós cedemos aos maus desejos. Não somos diferentes dos primeiros homens, e Deus sabia disso.

Eva me ensina que como mulher, como ser humano, sou pecadora, sou fraca. Sou tão frágil que às vezes esqueço que realmente posso ser mais forte em Cristo, e me entrego aos meus próprios desejos. Achamos que não somos capazes de fazer aquilo para o qual Deus nos chamou, nos sentimos incomodados, constrangidos perante o Espírito Santo a agir, mas, ficamos parados. Imóveis. Sem ação.

Todavia, posso aprender com Eva, que não preciso permanecer parada. Aprendo com Eva quando eu me arrependo dos meus erros, me volto para Deus, aceito sua correção, e vivo na dependência de Cristo. Aprendo com Eva quando obedeço ao chamado de Deus para a minha vida, na certeza de que quem me chamou, é aquele que me capacitará todos os dias para sua boa obra, até a consumação dos séculos (Fl 1:6).

E você, o que aprendeu com Eva?

Por: Isabela Lucena

Aprenda com a Priscila também: http://fesofap.portaliap.org/conteudo/vida-devocional/aprendendo-com-priscila/

 

Nenhum comentário

Comentários estão desativados