Conte suas bênçãos: o segredo da felicidade

Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou, seus discípulos aproximaram-se dele, e ele começou a ensiná-los, dizendo: “Bem-aventurados…” Mt 5.1-3a.

Comecei a pensar nas bênçãos do Senhor na minha vida e vi a mão de Deus nos cuidados, na proteção, no amor em cada detalhe, no livramento, na provisão e sustento, na sua graça maravilhosa… Passaria horas mencionando tudo o que Deus já me abençoou! Sem contar as amizades, a família e o fato dele me permitir conhecê-lo a cada dia mais.

Algumas bênçãos são dadas depois de passar por momentos de busca, de angustias, de necessidades, as quais são permitidas para que possamos ver a mão do Senhor e o quanto Ele é bom e cuida de nós como um Pai amoroso. Mas quando não compreendemos essa verdade, começamos a ficar ansiosos, preocupados, perdemos a alegria e a paz, e não desfrutamos das coisas que o Senhor fez para nós ( 1Tm 6.17b).

A Bíblia fala que fomos criados por Ele e para Ele (Cl 1.16), ou seja, nascemos com um propósito, e quando nos afastamos desse propósito e começamos a viver para nós mesmos, buscando nossa própria satisfação, ou viver para o trabalho buscando estabilidade econômica, ou viver para outra coisa que não seja Ele como centro, perdemos o rumo da verdadeira felicidade, e já não vemos com facilidade as bênçãos do Senhor.

Jesus nos mostra qual é o segredo da felicidade no sermão do monte. Ele afirma que são felizes, ou bem-aventurados, ou alegres, aqueles que atuam conforme a vontade de Deus, e vão contra ao comportamento desse mundo.

A palavra “bem-aventurado” tinha um significado muito forte para os que ouviam Jesus naquele dia do sermão, pois expressava a ideia de alegria divina e perfeita. Essa bem-aventurança sugeria satisfação e suficiência interiores que não dependiam das circunstâncias externas para ter alegria. É isso que o Senhor oferece aos que confiam Nele.

Por tanto, Jesus termina afirmando que somos os construtores de nossa história, o sábio ou o tolo (Mt 7.24-27). Ele mostra a maneira que podemos ser felizes e abençoados, apesar das chuvas, das tormentas e ventos, porque faz parte da nossa caminhada aqui na terra. Fazemos a diferença quando decidimos ser sábios e viver para Ele, num relacionamento de amor e fidelidade, apegados na rocha.

Então não vamos parar de contar as bênçãos que recebemos do nosso Pai e o quanto Ele nos faz felizes, porque a maior bênção é ter Ele como amigo. Por isso, busquemos sempre focar nossa vida nesse objetivo para o qual fomos criados, e assim seremos gratos e desfrutaremos de uma vida cheia de satisfação, por causa dele: Jesus.

 

Liliana Arruda, casada com Eliezer Navarro Grance, missionária na igreja de Temperley y Matheu na Argentina, formada em teologia.