Aprendendo com Rebeca a esperar pelo seu Isaque

Podemos aprender muito com Rebeca, uma jovem notável, que fez a diferença em sua época. Não é fácil ser uma jovem cristã nos dias de hoje, mas veremos que vale a pena fazer a diferença.

Vejam que linda história encontramos no livro de Gênesis, capítulo 24. Mas antes, recordaremos o capítulo 12. Abraão, não tinha filho (v. 2), Deus faz a ele uma promessa de que dele sairia uma grande nação (v.7p2), Darei a tua descendência, esta terra. Mas, como? Sua esposa Sara era estéril e os dois já de idade avançada. No cap.15 de Genesis, Deus promete um filho a Abraão para que se expandisse a sua descendência, e cumpre sua promessa.

Isaque, esse era o herdeiro! Não só das riquezas materiais, de todos os bens e propriedades de seu pai, mas Isaque era dono de uma herança bendita, bênçãos do poderoso Deus, pois através desse jovem, as promessas de Deus ao pai da fé, Abraão, se cumpririam.

Então, chega o tempo desse moço se casar. Imaginem que ele era “o cara”. Isaque era rico, de família influente, possivelmente, as cananeias disputavam a atenção desse rapaz.

Mas, aquele jovem era especial! O seu pai Abraão, ordena ao seu servo para buscar uma jovem de sua linhagem, lá em Harã.

Então esse homem vai em busca de uma esposa para Isaque, quando chega perto de um poço e ora pedindo a Deus um sinal, foi através das qualidades de uma linda moça, que o servo teve a certeza de ser ela a escolhida para Isaque (Gênesis 24).

Aproxima-se do poço uma jovem chamada Rebeca, atraente por sua beleza, porém meiga e pura. Quantas qualidades tinha aquela moça! Era de família tradicional, porém vemos claramente que não era uma garota mimada.

Era educada, amável, atenciosa, se importava com o próximo e não fazia acepção de pessoas. Rebeca não perdia tempo com futilidades, não usava de sua beleza e influência para seduzir.

Era íntegra, discreta, Rebeca, honrava seus pais, ajudava nas tarefas de casa e não tinha preguiça. Percebemos isso quando vai ao poço buscar água. Ela dá água ao viajante e ainda se dispõe a matar a sede dos camelos, não era uma tarefa fácil, pois pegou muitos baldes de água. Ela poderia ter feito só o básico, o necessário, dar só a água ao estranho e ir embora, mas se dispôs a fazer o melhor, além do que lhe foi pedido.

Rebeca, tinha fé, e com certeza pedia ao Senhor um bom marido, era antenada e estava atenta ao agir de Deus em sua vida, ao ouvir aquele homem, de onde vinha, já ficou em alerta. Quando o homem pede se há lugar na casa de seus pais para ele passar a noite, ela lhe oferece pouso e corre contar tudo para a família. Ah, que moça hospitaleira era Rebeca!

Ali estavam todos, a família, o servo de Abraão, todos certos de que a vinda daquele homem, era providência de Deus. Faltava vir da boca de Rebeca a resposta que mudaria sua vida. A jovem era decidida, ao dizer sim, que iria com eles, ela já tinha sentido a doce paz do Senhor em seu coração, já tinha em seu íntimo a confirmação de que Deus a escolheu para ser bênção na vida daquele rapaz.

Você sonha em ter um casamento feliz? Está disposta a fazer alguém feliz?

Nunca se precipite, ore, busque, entregue a Deus.

Lembre-se das lições que Rebeca nos trás, só corpo e rosto bonito, não são elementos fundamentais para um bom e abençoado casamento. Futilidades, vida sem propósito e arrogância não combinam com a “Rebeca” que “Isaque” procura.

Pense nisso! Seu “Isaque” pode estar te procurando.

Por: Deborah Dalava, congrega nas IAPs Cascavel e Toledo

Nenhum comentário

Comentários estão desativados