Visão de Jogo – Brasil x Bélgica: Era uma vez…

Não, não é uma fábula, mas sim uma história real.
Há algum tempo atrás no ano de 2014, aconteceu algo inédito para a seleção brasileira em sua casa. Um time, um estádio e uma nação ficaram perplexos diante da derrota elástica para a seleção alemã. Com algumas mudanças no decorrer destes anos, algo novo começa a ser sonhado. Amistosos e eliminatórias vitoriosos e eis que chega a tão esperada competição – A Copa do Mundo na Rússia. Digamos que para um jogador a Copa do Mundo é o ápice para você vestir a camisa do seu país e servi-lo através de sua arte que é o futebol.
E neste ano de 2018 começamos meio tímidos e aos poucos fomos criando equilíbrio e garra.
Mas paramos em uma seleção forte e voraz com 100% de aproveitamento na fase de grupos e que aprecia viradas no final.
A derrota nos leva a pergunta: quem errou? O Tite, a zaga, o ataque, contra-ataque? A arbitragem?
Mas o desafio é compreender que todos somos imperfeitos e falhamos, ora orgulho deixa espaços na defesa e o inimigo (que não é nada bobo) aproveita as brechas e entra na pequena área; ora a confusão no meio do campo, desfoca o alvo e o chute sai aéreo e sem direção.
Aprendemos também que o sonho não acabou, daqui quatro anos tem copa de novo. Na vida, se você perdeu algum lance, o jogo ficou 1×2, ainda dá tempo. Enquanto tiver um fôlego de vida, ainda dá tempo! Dá tempo de corrigir a defesa, melhorar o ataque e ajustar o alvo que é Cristo!
Assim como Paulo podemos dizer que importa “…terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus.”
‭‭Atos‬ ‭20:24‬b.
Ainda que as circunstâncias tivessem aparência de derrota, Paulo não deixou de pregar e ensinar publicamente e de casa em casa! (Atos 20.20)
Seja no futebol ou na vida, a derrota nos mostra que não podemos perder o foco de um dia vestir o melhor uniforme, pois este foi confeccionado no sangue do Cordeiro e nele a vitória é certa e é para sempre!

Por: Dani Ferreira