Pais presentes não são substituídos por presentes

Não troque o diálogo, as brincadeiras, as histórias que fazem os filhos dormirem

Não estamos retirando o nosso afeto de vós, mas vós estais retirando o vosso afeto de nós.” (2 Co 6.12)

Na ilusão de compensar a distância, o diálogo, as brincadeiras, as histórias que fazem os filhos dormirem, pais investem em presentes caros atendendo à vontade dos filhos que dificilmente contam com a presença dos pais. Como o problema enfrentado por Paulo na igreja de Corinto (falta de afeto dos irmãos), muitos pais têm deixado de ter afetuosidade para com seus filhos, em casa.

Babás que assumem a responsabilidade dos pais acabam por saber até os nomes dos coleguinhas, guardam seus materiais, ajudam nas tarefas, conversam sobre assuntos importantes para a formação das crianças e dão opiniões, conselhos, de acordo com suas experiências, o que é muito prejudicial.

Pais no trabalho, na faculdade ou viajando se desdobram na grande tarefa de ligar, perguntar se está tudo bem mas se preocupam em substituir sua presença por presentes, perguntando logo o que os filhos querem ganhar.

Um presente pode expressar um gesto de afeto, mas não pode substituir você.  Essa ausência prejudica o vínculo familiar e põe em risco os valores morais e espirituais dos filhos.

Pais presentes não são substituídos por presentes.

Rute Queila Sarrazin Barbosa, Resofap Baixo Amazonas

Nenhum comentário

Comentários estão desativados