O presente de Deus

Não há nada mais empolgante que receber um presente. E, normalmente, nas ocasiões especiais ou de fim de ano, as pessoas se presenteiam. E como é empolgante abrir uma embalagem de presente: a curiosidade aumenta a cada laço solto ou fita descolada, até vermos o presente que com carinho foi escolhido. Um presente é sempre motivo de alegria e independente do valor expressa que existimos que somos importantes e que fomos lembrados.

Se um gesto humano significa tanto, imaginemos o maior presente da história descrito em João 3.16 “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Este presente espiritual satisfaz e é em resposta a todas as necessidades humanas (Por que). Precisamos saber para quem somos e existimos. Não existimos por acaso, mas somos indivíduos, seres únicos com propósitos definidos.

Anuncia quem é o presenteador (Deus). E Ele nada mais é que o Supremo Ser do universo, o Todo-Poderoso. Nada iguala ao seu poder e em todas as direções e dimensões é infinito.

Proclama o Seu mais profundo sentimento (amor). Ele amou e continua amando profundamente as suas criaturas. Amor é a essência de Deus.

O Seu amor é ilimitado, sem acepção (o mundo). Todo ser humano contém a imagem e semelhança de Deus e por isso é alvo do seu infinito amor.

Esse amor é apaixonante (de tal maneira). Em outras palavras: a mente humana não consegue compreender e pode classificá-lo como ato de loucura, de desvario. E porque chegaria a tal conclusão? Porque o presente não foi um objeto abstrato.

O presente foi o Filho Único de Deus, Jesus (o seu Filho Unigênito). Em Jesus, Deus se fez carne, viveu a nossa vida, sentiu as nossas necessidades e dores, venceu as nossas tentações, sofreu as nossas misérias, morreu a nossa morte, e ressuscitou tendo nas mãos a nossa vida.

O presente deve ser aceito (para que todo aquele que nEle crê). Para Deus deve-se abrir a mente, as emoções, a existência, o coração. Não basta apenas saber do presente, visualizar o presente, querer o presente, é preciso possuir o presente. Isto acontece quando priorizamos, celebramos, absorvemos, vivemos o Cristo.

Este presente é essencial à vida (não perece). Devemos ter consciência da vida futura. A Nossa vida não é apenas para esses poucos anos que vivemos sobre a terra. Há uma vida futura além do túmulo e para ela e para o juízo final devemos estar também preparados. A morte eterna não atingirá os que querem ser não apenas criaturas, mas filhos de Deus.

Este presente é eterno (tenha a vida eterna). Há um Deus, um trono, um paraíso, um lar eterno!

Por: Pr. Elias Ferreira

Fonte: Sou da Promessa