Não seja quase feliz

 

“Assim ele desceu ao Jordão e mergulhou sete vezes conforme a ordem do homem de Deus; ele foi purificado e sua pele tornou-se como a de uma criança.” (2 Reis 5.14)

O texto de II Reis 5.1-19 narra a história de Naamã, chefe do exército do rei da Síria. Homem bem sucedido, com seu talento reconhecido pelo próprio rei, amado por seus soldados, muito conceituado e respeitado por todos do seu país. Abençoado por Deus (por meio dele, Deus dera livramento aos sírios), com uma esposa que o amava e se preocupava com ele e era um homem muito valente. Ele até que poderia ser muito feliz, mas havia um “porém”: Naamã era leproso.

É exatamente assim que muitas pessoas se sentem. Alcançaram o sucesso profissional e familiar, o respeito de todos que o rodeiam, sentem-se pessoas abençoadas por Deus, e, apesar de serem valentes e lutadores, não são inteiramente felizes. Há sempre um “porém” que consume suas energias.

No entanto, Naamã encontrou a cura do seu mal e a felicidade plena quando deu ouvidos a uma pessoa simples, uma menina escrava, provavelmente, analfabeta. Acreditou em suas palavras, pois ela falava de algo que conhecia pessoalmente lá da sua terra e não de alguma teoria mirabolante e sem comprovação. E nós, quantas vezes desprezamos o testemunho vivo de alguém tão somente porque se trata de uma pessoa simples? Naamã foi buscar ajuda. Foi, buscar a ajuda em Deus. Muitas vezes ficamos paralisados diante da desgraça e não tomamos a decisão de buscar a face de Deus. Naamã humilhou-se perante o Senhor Deus, abrindo mão de seu orgulho, sua altivez, deixando de lado sua riqueza e posição social, obedeceu à ordem de Deus e alcançou a tão sonhada cura e restauração total de sua saúde. Deus impôs a humilhação a Naamã com um propósito: revelar-se a ele. A cura divina restaurou não apenas seu físico, mas também sua alma. Seu corpo foi curado, sim, mas sua visão acerca das coisas espirituais foi totalmente aberta; agora ele sabe que só há um Deus verdadeiro em todo o mundo, o Deus de Israel. Ele se tornou um adorador. Quando Deus abençoa alguém, Sua benção sempre quer ir além daquilo que a pessoa pediu. Junto com a graça solicitada, Deus quer salvar a alma daquela pessoa, por meio da fé em seu Único Filho, Jesus Cristo.

E quanto a nós? Nossas “experiências” com Deus têm nos levado a uma tão grande reflexão? Ou, levianamente, continuamos a viver nossas vidinhas do mesmo jeito que antes?

Naamã voltou para casa não apenas curado, mas também transformado. Podemos deixar de sermos pessoas quase felizes, meio felizes, um pouco felizes. Isso é possível quando aceitamos mergulhar na graça divina, concedida através do sangue de Jesus derramado na cruz, e passarmos a desfrutar de tudo aquilo que Ele tem de melhor para as nossas vidas. ”Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte” – (1Pe 5:6. …deixa Jesus que é o rei entrar em seu coração. …Paz e harmonia ele quer trazer… pra você.

No amor do Filho de Deus.

Por: Pr. Elias Alves

Fonte: soudapromessa