Leia Mais: Qualidade de vida depois dos 60

É importante manter a mente e o corpo ativos, ter amizades e sentir-se útil

A Palavra de Deus nos garante que “na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes, para proclamarem que o Senhor é reto” (Sl 92:14). Temos uma garantia e uma missão, um trabalho a fazer, no caso, proclamar a retidão do Senhor.

Considerando isso, fica evidente que a mente não envelhece, o que envelhece é o corpo, salvo algumas doenças degenerativas que podem ocorrer em qualquer idade, em nossa mente estamos sempre jovens e com muitas coisas para fazer.

Para isso, é importante alimentar nossa alma e exercitar nossa mente. Sim, a mente precisa de exercícios, pois sua estrutura fisiológica pode “enferrujar” se não for exercitada todos os dias.

Como os estudiosos orientam, precisamos aprender coisas novas, ler, praticar atividade física, artística, cozinhar, viajar, aprender a usar o computador, fazer algo que alegre o coração, enfim, qualquer coisa que fuja da nossa rotina.

Um importante alimento para nossa alma é o relacionamento.  As amizades, a família, os grupos nos quais estamos inseridos trazem o sentimento importante de pertencimento. Fazer parte de um grupo, ter amigos, conviver com pessoas, partilhar nossas alegrias e tristezas é motivador e confortante.

Poder dividir, falar, ouvir, compartilhar é uma arma poderosa contra a tristeza, depressão e solidão. Conhecer outras histórias, outras dores e alegrias, faz com que aprendamos, melhoremos como pessoas, e nos habilita a ajudar, despertando o sentimento de ser útil, tão importante para combater a solidão.

Diversos artigos compartilhados pelo pastor Miguel Correia nas reuniões do Grupo da Melhor Idade, na IAP em Vila Maria (SP), demonstram que, a cada dia, a expectativa de vida vem aumentando devido a fatores como alimentação, medicação, melhora do saneamento básico, etc. O corpo está ficando mais forte e resistente. Por outro lado, nossa cultura não ensina a valorizar o idoso, sua experiência de vida e seu conhecimento, fragilizando-o psicológica e emocionalmente.

Portanto, a autoestima é fundamental. Olhe para trás, veja tudo que já viveu e venceu, as lutas pelas quais passou e que, de uma forma ou de outra, superou. Olhe para você como realmente é: um herói, mestre na luta, na superação, doutor em assuntos da vida prática.

Criou e ajudou a criar tanta gente, trabalhou e contribuiu para o crescimento de seu país e, o melhor, ainda tem tanto para oferecer, agora de forma mais madura e consciente. Tudo o que gera medo e ansiedade no jovem já foi superado por você.

Precisamos lembrar que a morte é inevitável e não escolhe idade. No entanto, estamos aqui para viver e é isso que precisamos aproveitar.

Não deixe que o corpo o engane, somos muito mais do que um corpo, somos vida criada por Deus para a eternidade. E que Deus possa nos conceder a sabedoria para entender isso, como mencionado no Salmo 90:12: “Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios”.

Fonte: Tânia C. S. Salomão é psicóloga, texto originalmente publicado na edição 61 da Revista O Clarim

 

Nenhum comentário

Comentários estão desativados