Leia Mais: E foram felizes para sempre

Quem nunca ouviu a expressão: “foram felizes para sempre”, ao final de um conto  infanto-juvenil? Ela traduz o desejo de todo ser humano de ser feliz em todo tempo. Quem nunca sonhou em não ter problemas, como enfermidades, perdas, angústias, separações e injustiças? Quem não se comove, diante da situação de milhares de crianças do Haiti que ficaram órfãs, após o terremoto que assolou o país? Ou diante da falta de comida, na Malásia, onde, diariamente, morrem muitas pessoas, em consequência da fome? Basta olharmos o mundo e veremos a miséria.

Jesus, ao caminhar pelas ruas da Palestina, se comoveu: Vendo Ele as multidões, se compadeceu delas porque estavam aflitas e desamparadas como ovelhas sem pastor (Mt 9:36). Diante das aflições humanas, ele fez uma promessa a todo aquele que crer: Não se perturbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas (…). E quando eu for, e vos tiver preparado lugar, voltarei outra vez, e vos levarei para mim mesmo (Jo 14:1-3).

Que promessa maravilhosa! E não foi uma pessoa qualquer que prometeu. O próprio Jesus nos garantiu que voltará e nos levará para a casa do Pai.

Relacionamentos perfeitos

Mas como será essa nova vida? O apóstolo João, quando estava preso na ilha de Patmos, teve revelações surpreendentes acerca das coisas futuras, entre elas: Vi um novo céu e uma nova terra; pois o primeiro céu e a primeira terra passaram (Ap 21:1).

Um novo mundo. A palavra “novo” utilizada no versículo anterior, no grego é “Kainos” e deriva da raiz “qen”, que significa “ficar fresco”. Kainos denota aquilo que é novo quanto à qualidade, em comparação com aquilo que existia até agora, aquilo que é melhor do que o antigo. O elemento novo que entrou no mundo com Jesus Cristo estende-se desde a realização do novo homem, até a esperança de novos céus e nova terra1. Isso significa que todas as coisas neste mundo são temporárias, tudo vai passar.  Mas no novo céu e na nova terra tudo será eterno. A ideia é que Deus fará tudo perfeito para seus filhos já que o mal será destruído para sempre. Este Jesus que prometeu que voltaria e nos levaria para a casa do Pai, no versículo 4 diz: Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque as primeiras coisas são passadas. Todos os males serão extintos.

Não sei se nossa mente finita é capaz de entender o que significa viver naquele lindo país. Quando contemplamos, extasiados, a beleza de um pôr-do-sol, as montanhas da Cordilheira dos Andes, os lençóis maranhenses, as flores de um jardim, podemos tentar imaginar como será a nova terra.

Os relacionamentos serão perfeitos, a nossa mente não estará mais limitada e poderemos construir grandes coisas, realizar projetos nunca alcançados.

Na continuação do texto bíblico, João recebe uma ordem: … escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras (v.5). E acrescenta no versículo 7: O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus e ele me será filho.

Todas as bênçãos do novo céu e da nova terra pertencem ao vencedor, isto é, àquele que perseverar até o fim. Aí, sim, a expressão “e viveram felizes para sempre” deixará de ser um sonho e se tornará uma realidade.

Por: Miss. Célia Beltran na edição 58 da revista O Clarim