Está doendo

Está doendo. Muito, de todo jeito, em todo lugar, em cada canto, está doendo. Éramos conhecidos há muito tempo atrás como o povo do livro, os Bíblias. Éramos poucos. Hoje somos muitos. Mas não influenciamos. Permitimos sermos atropelados por um clima libertino, imoral e esperto. Confortáveis em nossas trincheiras não nos demos conta dos ataques em conta-gotas, nem sentimos as dores. Hoje, com a situação escancarada, começa a doer em nós, em nossos filhos, em nossos irmãos, em nossas vidas.

Está doendo o escracho, o descaso, a afronta, a humilhação contra a noiva do Cordeiro. Em parte temos muita culpa. Ou você acha que o volume de falsos profetas usurpando ovelhas, o volume de interesses pessoais dos coronéis eclesiásticos tendo a primazia em relação às necessidades simples do evangelho, o volume de escândalos nos bastidores de reino, o volume de negociatas com alianças políticas totalmente opostas a aliança cravada na cruz, enfim, você acha que tudo isso ficaria barato? O Deus que permitiu um chicote na mão de Ciro é o mesmo, Senhor absoluto da história.

Está, enfim, doendo. Encontro esperança no evangelho, quando Jesus respondeu aos fariseus as acusações que faziam por vê-lo com pecadores. Naquela oportunidade Jesus usou a mesma metáfora que uso neste texto, falou de médicos: “Não necessitam de médicos os sãos, mas sim os doentes” Mateus 9.12.

Eu preciso do médico Jesus. A nação precisa. Está doendo demais. Sempre que uma dor se intensifica o clamor se aproxima como único e último recurso. Quanto ao Médico dos médicos, normalmente as pessoas só O procuram depois de terem esgotado as alternativas. Nosso Brasil caminha para a falta de alternativas. E a dor não passa, só aumenta. É tempo da noiva fazer o que sabe, abastecer-se do óleo e orar. Muito e intensamente. Ele continua o mesmo, sarando, curando, ressuscitando, enfim, operando milagres.

Está doendo. O que será do futuro do nosso país? Brasil, olha pra cima!

Pr. Edmilson Mendes congrega na IAP em Pq. Itália (Campinas, SP) e integra a equipe do Departamento Ministerial – Convenção Geral.